Gravações de “Rei Davi” revelam dificuldade das produções épicas

Cacau Melo  vive a destemida Raquel na minissérie da TV Record. Foto: Jorge Rodrigues Jorge/TV Record/Divulgação

Cacau Melo vive a destemida Raquel na minissérie da TV Record

Mil anos antes de Cristo, período em que a minissérie Rei Davi está ambientada, o papel da mulher na sociedade era bem definido: gerar filhos e cuidar da família. Poucas moças da época seguiam por um caminho mais livre sem a repreensão do povo e dos próprios pais.

“A mulher que não queria seguir o mesmo destino das demais sofria muito preconceito. Tinha de ter uma personalidade forte para encarar a todos de cabeça erguida”, valoriza Cacau Melo, intérprete da destemida Raquel. Filha de Joabe, de João Vitti, ao contrário das outras mulheres da clã de Davi, ela sempre sonhou ter nascido homem para lutar ao lado de outros guerreiros judeus.

Dona de um espírito aventureiro, a menina se manteve distante dos serviços domésticos e, escondida do pai, aprendeu técnicas de luta e a manusear perfeitamente uma espada. Nas cenas previstas para irem ao ar a partir do dia 10 de abril, Joabe, sobrinho e comandante do exército de Davi, enfim, descobrirá o talento de sua filha. “Apesar de ser uma sequência pequena, temos que registrar a cena de vários ângulos. E mesmo com quatro câmaras, vai ser preciso repetir algumas vezes”, avisa Edson Spinello, diretor-geral da trama e responsável pela cena.

Ao caminhar pela área comercial da cenográfica Jerusalém – erguida em uma área não utilizada do Recnov, complexo de estúdios da Record, localizado em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro – Joabe acaba flagrando Raquel exibindo-se com uma das espadas feitas por Itai, de Daniel Bouzas. Irritado, o pai pega Raquel pelo braço e a agride na frente de todos. “O Itai fica tão surpreso quanto o Joabe. Acho que a Cacau está manuseando a espada melhor do que muito marmanjo”, brinca Daniel. De tanto treinar a cena, ela já nem sente o peso da espada de ferro, confeccionada pela equipe de direção de arte da minissérie.

Além das aulas de culinária, tecelagem, dança e História, promovidas pela emissora para preparar o elenco deRei Davi, Cacau foi a única mulher a participar do “workshop” de luta e armas, essencial para as cenas de batalhas da produção. “Gosto dessas composições diferentes, mas foi bem difícil aprender a manusear e a fazer as coreografias de batalha”, confessa a atriz.

Com cerca de 40 figurantes e 15 animais – entre cavalos, burros, galinhas e bezerros – em cena, o mais difícil para o diretor era ficar de olho na interpretação dos atores principais e, ao mesmo tempo, na composição geral das imagens. “Pessoal, o burro está passando na frente dos atores. A marcação não é essa”, reclama Spinello, que comanda o ensaio do “switcher”, espécie de sala de edição, onde consegue visualizar o enquadramento e a qualidade das cenas.

Em pleno verão carioca, o sol a pino castigava os artistas e técnicos e aumentava o trabalho da equipe de maquiagem. Por ser captada em alta definição, a maquiagem é um das maiores preocupações. “Dá tempo de secar o rosto da Cacau?”, questiona a maquiadora Vanessa Xavier. Esse não era o único problema causado pelo sol. Os raios solares refletiam no chão e “estouravam” a luz das imagens. Prontamente, a equipe direção de arte provindenciou mais fumaça artificial e defumadores. “Fica estranho esse monte de fumaça, mas ela dá um clima para a cena”, explica Daniele Sena, da equipe de arte.

Desde que assumiu a direção-geral de Rei Davi, Spinello já esperava um grau maior de complexidade das cenas. “Não dá para fazer qualquer coisa. Se não fica ótimo, a gente repete. Está todo mundo em sintonia com esse pensamento”, garante. Apesar dos problemas e do forte calor, o clima entre elenco, figurantes, direção e produção é de harmonia. Enquanto a equipe espera a gravação de outro ângulo da mesma cena, Cacau faz carinhos em uma das cabras do cenário, e Bouzas e Vitti conversam sobre a coreografia das lutas. “É um trabalho feito com muita dedicação. Gravo e fico ansioso para ver as cenas no ar”, destaca João Vitti.

Rei Davi – TV Record – Terças e quintas-feiras, às 23h15.

As informações são do Portal Terra

“Programa do Gugu” muda de estratégia neste domingo (13)

Para fugir do confronto com o futebol, o quadro “Escolinha do Gugu” terá seu horário alterado a partir deste domingo (13).

Com a mudança do horário do futebol, de 16h para 17h, o quadro do “Programa do Gugu”, que antes ia ao ar após o término do campeonato, agora irá ao ar antes. Será o primeiro quadro da atração.

A ideia do programa é concentrar a audiência masculina, dominante no quadro.

“Programa do Gugu” vai ao ar todos os domingos, a partir das 16h30.

A informação é da coluna Zapping

“Programa do Gugu” deve ser produzido em HD a partir de 2012

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20111031131353.jpg

Assim como boa parte da programação da Record, o “Programa do Gugu” deverá ser produzido em alta definição a partir de 2012.

Segundo a coluna Canal 1, a estreia da novidade está prevista para ocorrer no dia 15 de janeiro, quando o apresentador voltará de férias. A exibição ao vivo vai até o dia 19 de dezembro. 

Caso seja confirmada a produção do “Programa do Gugu” em HD, este será o primeiro programa da linha de shows da Record a contar com tal recurso. “Tudo é Possível” e “O Melhor do Brasil”, por exemplo, ainda não dispõe de tal tecnologia. 

O HD chegou à Record em 2007, por meio de filmes importados de produtoras como a Universal Pictures. Logo após, realities como “Ídolos”, “Troca de Família” e “O Aprendiz” passaram a ser em HD. O jornalismo, a dramaturgia e o “Hoje em Dia” começaram a contar com a produção e transmissão em HD do final de 2010 para cá.

Com informações do site NaTelinha

Bandeirantes quer especial do CQC no Rio de Janeiro

A emissora do Morumbi está planejando fazer o especial de 150 programas na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro em uma segunda-feira de Agosto.

Toda a produção do programa está fazendo de tudo para que isso seja possível e pela primeira vez a emissora exibiria o CQC fora dos estúdios do Morumbi.

Flávio Ricco

Record produzirá quatro novelas e uma minissérie este ano e diretor será trocado por Bispo

Na coletiva de imprensa da novela “Rebelde” hoje pela manhã no RecNov, complexo de estúdios da Record no Rio de Janeiro, o diretor de dramaturgia do canal, Hiran Silveira, disse que a emissora produzirá em 2011, ao mesmo tempo, quatro novelas e uma minissérie.

A ideia é usar o máximo da capacidade dos estudios, a maioria está desocupada no momento. Segundo Hiran, a Record produzirá em setembro as novelas “Rebelde”, “Vidas em Jogos”, suas substitutas e a minissérie “A História de Davi”.

Após a saída de grandes estrelas para a Globo, a emissora de Edir Macedo procura alguns nomes no mercado. A grande maioria segue com vínculo com outras empresas.

Vale lembrar, que em breve uma mudança no alto comando da dramaturgia da Record será percebida. Segundo o jornalista James Akel, o Bispo Marcelo Silva substituirá Hiran no cargo.

Com informações da Record

%d blogueiros gostam disto: