Carlos Villagrán, o Quico de “Chaves”, lamentou não ter se reconciliado com Bolaños

kiko

Carlos Villagrán, o ator que interpretava Quico na série “Chaves”, lamentou por não ter tido tempo de se reconciliar com Roberto Bolaños, morto na última sexta-feira (28).

Em sua página oficial do Facebook, Villagrán publicou um texto de sua esposa, Becky Palacios, que detalha o último encontro com o humorista, em 2000.

“Muitos quiseram que isto acontecesse novamente, mas não deu”, escreveu.

Após mais de 35 anos brigados, Villagrán reencontrou e beijou Bolaños em 1° de abril de 2000, durante uma homenagem ao comediante realizada pela rede mexicana Televisa, produtora da série de sucesso. Foi a última vez que eles se encontraram.

A mensagem foi a seguinte: “Isto escreveu Becky Palacios, mas resume um pouco dos últimos [anos] que vivi com Chaves. Aqui começa a mensagem: ‘Nestas fotos, há uma história: aquele dia, em 2000, Carlos e Don Roberto puderam dar um abraço e um beijo, com o grande carinho que dois amigos tinham guardado para um momento como este. Apesar de sua presença ter sido barrada, não podiam impedir que o carinho e a emoção de voltarem a se encontrar se tornasse evidente e palpável. Foi um grande momento!’”.

E concluiu: “Muitos quiseram que isto acontecesse novamente, mas não deu. Apesar disso, sei que Chaves, Chapolin ou Don Roberto fizeram o possível para que seus amigos Kiko e Carlos o estivessem acompanhando em sua despedida, a melhor viagem de sua história, para seguir criando risadas e amor entre os anjos. Assim também, para que através de sua mulher, Florinda, chegasse a Carlos con um grande abraço de amigos. Descanse em paz!”.

Carlos Villagrán, o Quico, lamenta morte de Bolaños

image

Intérprete do personagem Quico no seriado Chaves, Carlos Villagrán usou seu Facebook para lamentar a morte de Roberto Bolaños, o Chaves, nesta sexta-feira, 28, vítima de uma parada cardíaca.
Em seu texto, o humorista falou sobre a dor de perder o amigo e colega de trabalho.

“Hoje, como raramente acontece, deixei meu telefone de lado por umas quatro horas e quando voltei tinha 71 chmadas perdidas, para me dar a triste notícia da partida de don Roberto Gomez Bolaños. Sinto muito a morte de um grande homem, amigo, gênio”, afirmou.

“Todo o México, Brasil, Peru, Chile, Colombia, Venezuela, Argentina, Bolívia e o resto do mundo. Tantos países, tantas pessoas que foram tocadas pelo talento desta grande pessoa, que me abriu as portas para desenvolver o personagem Quico”, completou.

“Para ele, todo meu agradecimento, minha tristeza e minha dor. Somente quando se vive a realidade de uma ausência se descobre o verdadeiro sentimento de amizade. Que descanse em paz. Hoje me sinto triste por seu falecimento. #chavogenioteRECORDAMOS”, finalizou.

Apesar da tristeza pela morte do colega de trabalho, a relação entre Villagrán e Bolanõs não era das melhores nos últimos anos. Em maio, Villagrán contou em entrevista a uma rádio que chegou a procurar Bolanõs, mas não conseguiu falar com ele.

“Tentei falar com ele, liguei, mas não atendeu meus telefonemas. Então optei por não voltar a chamá-lo. Se é a vontade dele, vou respeitar”, disse Villagrán sobre tentar contato com o ator após saber do agravamento de seu estado de saúde.

Segundo informações do site Basta!, o ator associou a saúde delicada do eterno Chaves ao hábito que ele tinha de fumar cigarros sem filtro.

Questionado ainda sobre o polêmico direito para o uso de imagens dos personagens, Villagrán afirmou que o único dono é Bolaños. “Ele tem os direitos, suponho que seja pelo dinheiro. Ele é o único dono, não recebo um centavo por nada. Agiu mal, nós tínhamos fome de sucesso e ele se apoderou de tudo”, completou Carlos.

%d blogueiros gostam disto: