“Tomara que ela volte a ser vilã”, diz Mariana Ximenes sobre Clara

Mariana Ximenes em um intervalo de gravação de Passione (27/10/10)

A fase boazinha de Clara, personagem de Mariana Ximenes em “Passione“, parece não estar convencendo a atriz. “No momento, ela aparenta estar mudada, mas não sei o que está por vir. Tomara que ela volte a ser vilã”, torce. Mariana sinaliza que a agressividade da golpista continua dentro dela, só que agora o foco é Valentina (Daisy Lúcidi), a quem chama de “velha porca”. “Clara teve muitos embates com a Valentina. Nas gravações, eu fico apavorada com a possibilidade de machucar a dona Daisy, que é uma fofa”, conta.

Prova de que a mudança no comportamento de Clara não convence Mariana é que ela aposta em sua personagem para ser a assassina de Eugênio (Mauro Mendonça) e Saulo (Werner Schünemann): “Acho que ela pode ter cometido esses crimes. E estar envolvida em um grande mistério é sempre bacana”.

A atriz não é a única a sentir falta das maldades da época em que Clara era vilã. “Esses dias encontrei o [Reynaldo] Gianecchini almoçando no Projac e ele reclamou que a gente não se encontra mais”, diverte-se.

Apesar da saudade do colega de cena, nas ruas, o público aprova a Clara boazinha. “Sinto que as pessoas querem que ela tenha um final feliz. Acho que o brasileiro é um povo otimista, que acredita na redenção da personagem”, avalia. A atriz credita a bondade súbita de Clara ao amor que ela tem por Kelly (Carol Macedo). “Esse afeto é de verdade, assim como a saudade do Totó [Tony Ramos]. Ela enxerga nele as possibilidade de uma vida que ela nunca teve”, argumenta.

Mariana lembra que o fato da transformação de Clara traz à tona uma discussão interessante: ter sido criada sem afeto justifica as maldades dela? Para atriz, a resposta é não. “Ela sofreu por ter sido explorada sexualmente pela avó, que a vendia para seus clientes, mas isso não lhe dá o direito de descontar sua raiva no mundo”, pondera. 

Entre as cenas preferidas da atriz está a que Clara é expulsa da casa de Bete Gouveia (Fernanda Montenegro), no início da trama. “Quando toda a família se reúne na sala da mansão para enxotar a minha personagem foi muito bacana. E quando Clara volta à mansão, de mãos dadas com o Totó também foi muito bacana”, lembra.

Contracenar com profissionais como Tony Ramos, Leonardo Villar, Fernanda Montenegro, Aracy Balabanian e Cleyde Yáconis é uma oportunidade preciosa, segundo a atriz. “Aprendo sempre com eles em cena e também nos bastidores. “A gente discute sobre tudo e tenho aprendido até sobre política com eles. Cada trabalho me modifica porque passo um ano convivendo com pessoas diferentes”, garante.

Inf. Uol

%d blogueiros gostam disto: