História de um Vencedor (Antonino Seabra) – diretor de novelas

Antonino Seabra foi um dos primeiros diretores da TV brasileira. Pernambuco de Recife, Seabra nasceu em 1º de janeiro de 1933 e antes de exercer a função, foi câmera-men e sonoplasta. Durante seus mais de 50 anos de carreira, o diretor passou por várias emissoras como TV Paulista, Tupi, Record, Continental, Rio, Excelsior, Bandeirantes e SBT, onde foram seus últimos trabalhos. O diretor se mudou com os pais e os três irmãos para o Rio de Janeiro, onde se criaram e estudaram. A vocação para a arte foi descoberta logo cedo: Seabra como gostava de desenhar, começou a fazer cartazes e faixas, além de histórias em quadrinhos.

O primeiro trabalho veio como operador de som na Rádio Guanabara. Pouco depois foi para a Rádio Nacional e, posteriormente, para a TV Paulista, seu primeiro emprego no meio televisivo, como câmera-men e depois como diretor. Em pouco tempo foi alçado ao posto de diretor artístico. Antonino Seabra teve longa parceria com Henrique Martins e lançou personalidades como Jacinto Figueira Jr. (o Homem do sapato-branco), Gil Gomes e José Mojica Marins (o Zé do Caixão). Na televisão fez o ‘Teatro da Juventude’ e ‘Lever no Espaço’, na Tupi.

Dirigiu mais de vinte novelas, entre elas “O Profeta” (1977), “Aritana” (78), “O Direito de Nascer” (78), “O Meu Pé de Laranja Lima” (80), “Rosa Baiana” (82), “Marcas da Paixão” (2000), “Vidas Cruzadas” (2000) e “Roda da Vida” (2001). No SBT, foram mais de dez trabalhos, entre eles “A Ponte do Amor” (1983), “Jerônimo” (84), “Sangue do Meu Sangue” (95), “Pícara Sonhadora” (2001) e “Marisol” (2002), além do humorístico “Sem Controle”.

 Antonino Seabra faleceu nesse Domingo, aos 77 anos, de câncer.

Equipe CTV

Para novelista, Dieckmann parece interpretar adolescente

Em seu Twitter, Aguinaldo Silva dispara que Diana de Passione parece ser uma personagem de Malhação.

O polêmico Aguinaldo Silva ganhou mais uma inimiga para a sua já vasta coleção. A sua mais recente vítima é Carolina Dieckmann. Através do seu Twitter, o novelista declarou que ao ver a atriz interpretando a Diana, em Passione,teve a impressão de que ela está representando uma adolescente travessa, seguindo a linha de Malhação.

Fonte: Ziptop

%d blogueiros gostam disto: