Saiba tudo sobre a carreira do novo diretor de Jornalismo do SBT

O jornalista ALBERTO VILLAS nasceu em Belo Horizonte em 1950. Decidiu-se pela carreira ao vencer em 1970 o Concurso de Contos do Estado do Paraná.
Formado em Paris, onde viveu por seis anos, colaborou com
quase todos os jornais alternativos da época.
Em 1980 voltou para o Brasil, onde trabalhou em O Estado de S. Paulo (onde foi um dos criadores do Caderno 2), Rede Bandeirantes, SBT, (foi editor-chefe do Jornal do SBT na década de 90 – reprodução abaixo e também do TJ Internacional) e TV Manchete.

Na Rede Globo de Televisão, foi editor-chefe do Jornal da Globo e do Jornal Hoje, editor e depois chefe de redação do Fantástico, cargo que ocupava atualmente desde 2008.
Recentemente, foi o idealizar do quadro “O Cupido” do Fantástico.
Também é autor dos livros “Admirável Mundo Velho”, “Onde foi
parar nosso tempo”, “O Mundo Acabou”, “Afinal, o que viemos fazer em Paris?” e “Carmo”.
Após cerca de 15 anos, retorna ao SBT na sua mais importante
função na carreira: Diretor Nacional de Jornalismo.
Com informações do SBTpédia

 

Globo confirma Tapas & Beijos na vaga de Casseta!

Protagonizada por Andréa Beltrão e Fernanda Torres, a série Tapas & Beijos foi escolhida pela direção da Globo para substituir Casseta & Planeta, nas noites de terças-feiras, a partir do próximo dia 5.Na comédia popular escrita por Cláudio Paiva e dirigida por Maurício Farias (ex-A Grande Família), Andréa e Fernanda interpretam duas funcionárias de uma loja de artigos para noivas em Copacabana, no Rio de Janeiro.Ambas colecionam fracassos amorosos e uma eterna busca pelo príncipe encantado. Estão na série também Vladmir Brichta, Érico Brás, Fernanda de Freitas, Otávio Muller e Flávio Migliaccio.

A informação de que Tapas & Beijos substituirá Casseta & Planeta está em material enviado pela Globo ao mercado publicitário. Ou seja, é oficial. Já havia indícios de que isso ocorreria. Entre eles, a encomenda de 37 episódios.

Às terças, após Tapas e Beijos, a Globo exibirá Divã, spin-off do longa-metragem de mesmo nome, estrelado por Lilia Cabral. Na série dirigida por José Alvarenga, Lilia será Mercedes, mulher recém-separada com dois filhos adultos (Duda Nagle e Johnny Massaro), que faz terapia e se relaciona com um homem que mora em Nova York.

Em seguida, irá ao ar o Profissão Repórter, com Caco Barcellos.

Às quintas, a Globo manterá A Grande Família como principal programa de sua linha de shows. Na sequência, colocará no ar Lara com Z, “filhote” de Cinquentinha, escrita por Aguinaldo Silva.Na série, Lara Romero (Susana Vieira) decide captar dinheiro para fazer um filme, mas acaba comprando um teatro, onde será protagonista de uma montagem ambiciosa de MacBeth, de Shakespeare. A direção será de Wolf Maya.

Globo Mar retorna com Glenda Kozlowski
Ainda às quintas, haverá o retorno do Globo Mar. O jornalístico sobre o litoral brasileiro, em segunda temporada, terá Glenda Kozlowski no lugar de

Mariana Ferrão (que virou apresentadora do Bem Estar).Ernesto Paglia continua na atração, que contará também um biólogo marinho e
um convidado especial em suas expedições.

Às sextas, após o Globo Repórter, a novidade na grade da Globo será Macho Man, série escrita por Alexandre Machado e Fernanda Young e dirigida por José Alvarenga, repetindo parceria iniciada com Os Normais, em 2001.Nela, o diretor Jorge Fernando volta a atuar. Ele intrepretará Nelson, um homossexual que um dia, enquanto assiste a um show de uma drag queen ao lado da amiga Valéria (Marisa Orth), sofre um acidente e passa a se interessar por mulheres. Nelson, no entanto, tentará esconder que não é mais gay, temendo que isso atrapalhe seu trabalho como cabeleireiro.

Por fim, aos sábados, a partir do dia 9, Xuxa Meneghel terá um novo programa,
o Xuxa em Família, entre o Estrelas e o Caldeirão do
Huck
.

Com informações do Daniel Castro

Prévia: Programa Eliana (20/03)

De acordo com os dados prévios deste domingo, dia (20/03), o Programa da Eliana garantiu baixos índices de audiência e com isso não fechou na vice-liderança . A atração dominical do SBT marcou 7.7 pontos de média,com picos de 11. No mesmo horário, a Globo liderou isoladamente com 16 e a Record ficou na vice com 10 pontos. No confronto com Gugu  a Eliana ficou em 3° com 8 pontos e o Programa da Record ficou com 11 na vice

Vale lembrar que cada ponto no Ibope representa aproximadamente 60 mil domicílios na capital paulista, dados que servem como referência para o mercado publicitário.

Os índices são prévios e podem sofrer alterações no consolidado.

Parentes de celebridades estreiam em Amor e Revolução

 

Tiago Abravanel, Diego Montez e Marcelo Camargo estreiam como atores de TV na novela “Amor e revolução”, esperada trama de Tiago Santiago que o SBT leva ao ar a partir do dia 5 de abril. Mas eles têm ainda outra característica em comum: os três são herdeiros de figuras importantes na história da emissora e estão aprendendo a lidar com a pressão que seus sobrenomes trazem. Neto de Silvio Santos, Abravanel é ator de teatro desde os 15 anos – ele hoje tem 23 – e orgulha-se em dizer que foi convidado por Santiago e pelo produtor executivo Sérgio Madureira exatamente por causa de sua experiência nos palcos.

– Eu já tinha feito teste para uma novela do SBT há muito tempo. Se não me engano, foi “Maria Esperança”. Mas ainda não estava preparado para entrar na TV. Não só profissionalmente, mas psicologicamente. Eu sei que tenho um sobrenome visado e que a probabilidade de ser uma vidraça é muito maior – assume ele, sentindo-se bem acolhido pelo elenco e equipe da novela. – Todos são muito carinhosos comigo. E não acho que me tratem dessa forma porque sou o neto do dono da emissora. Vejo que são assim com todo mundo, o que me deixa muito feliz porque é como meu avô lida com as pessoas também – completa Abravanel, intérprete de Davi, um guerrilheiro idealista, mas um tanto medroso e atrapalhado.
O personagem de Montez também faz parte do núcleo revolucionário: Gabriel é um jovem ator de um grupo de teatro que resiste aos militares. E isso é basicamente o que o ator sabe, já que sua participação começa apenas na segunda fase do folhetim. Filho de Wagner Montes, apresentador do “Balanço geral”, na Record, e da atriz Sônia Lima – ambos ex-jurados do extinto “Show de calouros”, no SBT -, o rapaz, de 20 anos, é amigo de Abravanel, que conheceu no teatro, onde atua desde criança.
– O Tiago Santiago recebeu o meu material por intermédio de um amigo em comum com a minha mãe e me convidou para fazer o teste. O teatro é a minha paixão, mas a gente tem que fazer de tudo um pouco. Acho que a TV é um grande aprendizado. E, não tem jeito, é a única forma de atingir o grande público – opina Montez.
Ciente da pressão que vai enfrentar, ele diz não temer as opiniões dos outros. E entrega: tem ouvido muitas recomendações da mamãe.
– A maior pressão vem dela, com toda certeza. Vive me dizendo: “Ai de você se fizer besteira por lá!”. O SBT é a casa dela, onde aprendeu tudo. Minha mãe tem um carinho enorme pela emissora. Ela mesma me disse que serei muito julgado desde o primeiro momento. Mas estou tranquilo – afirma.
Do outro lado da trama está Marcelo Camargo, filho da apresentadora Hebe. Ele será um policial do Departamento de Ordem Política e Social (Dops) e faz parte do elenco de apoio. Seu personagem não tem nem nome, mas, depois de quase dois meses de gravações, o ator estreante está confiante de que o papel pode crescer.
– Ele é um vilão mesmo: prende, tortura e é ligado ao delegado interpretado por Jayme Periard. Já estou achando que vai participar mais da trama do que eu imaginava. Estou muito animado, nunca tinha feito nada, nem um curso de dramaturgia. Sou amigo do Fábio Villa Verde (que também está no elenco) e ele me levou para fazer o teste. Agora quero investir, participar de workshops e estudar mais – diz, empolgado.
Coincidentemente, a oportunidade na novela surgiu logo após sua mãe deixar o SBT, depois de 25 anos na emissora. Para o novato, aos poucos a sombra da apresentadora vai deixando de ser um problema.
– Tudo tem sido muito normal para mim. Tem muita gente ali que eu já conhecia, por estar no meio. À medida que o tempo passa, vou conquistando o respeito das pessoas. Tenho sentido muito isso, dos próprios diretores da novela. Aos pouquinhos estou deixando de ser o filho da Hebe para virar o Marcelo Camargo – acredita.
Ambientado no período da ditadura militar no Brasil, o folhetim de Tiago Santiago terá no elenco atores como Cláudio Lins, Graziella Schmitt, Lúcia Veríssimo e Licurgo Spínola. Além de citar os mais experientes como grandes incentivadores, os três concordam que poder tratar de um tema tão importante é uma das principais inspirações para o trabalho.
– Tenho me sentido muito menos pressionado porque vejo que está todo mundo unido para fazer a trama dar certo. Todo o elenco comprou a ideia do autor e não tem picuinha. Está todo mundo jogando no mesmo time para mostrar ao público a novela linda que estamos fazendo. E a questão de ser o neto do dono só me dá mais orgulho em saber que estou contando essa história na minha própria casa – afirma Abravanel.
Com informações do Jornal O Globo

Prévia “Jornal do SBT Manhã” (18/03)

:globo: 5.3
:sbt:

4.2
:record: 3.8

Pico 5. Até 6h30 aproximadamente na liderança.

Fonte: Natelinha

Cinema Nacional desta quinta, dia 17, exibe o filme Meu Nome Não é Johnny

Selton Mello
‘Meu Nome Não é Johnny’
Selton Mello encarna em “Meu Nome Não é Johnny” (2008), no Cinema Nacional que a Rede Globo exibe em HD (alta definição) nesta quinta-feira, dia 17, às 23h20, logo após o Big Brother Brasil, o traficante de drogas João Guilherme Estrella. Jovem da classe média carioca, Johnny, como era conhecido, não tinha limites.
Inteligente e simpático, era adorado pelos pais e popular entre os amigos. Seu espírito aventureiro e boêmio o levou a viver todas as loucuras permitidas. E também as não permitidas. No início dos anos 90, acabou se tornando o rei do tráfico de drogas do asfalto carioca.
Preso em 1995, seu nome chegou às capas dos jornais. Em vez de festas, passou ao banco dos réus. Sua história revela sonhos e dramas comuns à toda juventude, em qualquer lugar do mundo.
Baseado no livro homônimo de Guilherme Fiuza, “Meu Nome Não é Johnny”, coleciona prêmios no cinema. Entres eles, o de melhor filme no Brazilian Film Festival de Miami e o de melhor ator para Selton Mello no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.
Com informações da TV Globo
%d blogueiros gostam disto: