BOMBA! Autora global revela que virou autora de novelas por necessidades

Maria Adelaide Amaral revela que virou autora de novelas por necessidade financeira

image

Autora consagrada de novelas da Globo, Maria Adelaide Amaral se prepara para estrear no horário das 21h.
Adelaide ainda está escrevendo a trama, que deve entrar no ar em 2016, depois de “Favela Chique”, de João Emanuel Carneiro.
Para a novela, ela vai contar com a parceria de seu coautor Vincent Villari, com quem já trabalhou em “Anjo mau” (1997), “A muralha” (2000), “Os maias” (2001) e “Sangue Bom” (2013), entre outras.
“É uma novela adulta”, foi a única coisa que a autora adiantou sobre a trama, em entrevista ao jornal “Extra”.
Questionada sobre como foi parar na TV quando já tinha uma carreira no teatro e na literatura, Adelaide foi sincera.
“Foi a necessidade financeira, meu bem! O Collor assumiu em 1990, garfou minha poupança, o Cassiano [Gabus Mendes] me convidou para ser colaboradora dele e eu não tinha outra alternativa”, confessou.
No entanto, a escritora conta que acabou se apaixonando pela televisão e lá ficou.
“Mas na verdade eu não sabia que seria tão prazeroso escrever para a TV. Eu tive a sorte de pegar o Cassiano pela frente, uma pessoa tão experiente e bem humorada, porque ele me ensinou principalmente esse prazer. E depois fui trabalhar com o Silvio [de Abreu], a quem eu diria que devo tudo que sei sobre televisão.

Sangue Bom: conheça a it girl Amora (Sophie Charlotte)

Sophie Charlotte interpreta a it girl, Amora (Foto: TV Globo / Bob Paulino)

Em Sangue Bom, próxima novela das sete da Rede Globo, Sophie Charlotte interpreta a ‘it girl’ Amora, uma jovem muito antenada em moda e viciada em compras. Para entender melhor o universo de sua personagem, a atriz, que já tinha interesse pelo assunto, fez uma intensa pesquisa sobre as blogueiras de moda. Na trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, Amora é a filha adotiva de uma atriz afetada, vivida por Giulia Gam e noiva do playboy Maurício, personagem de Jayme Matarazzo. Apesar de todo o glamour que a cerca, a menina teve um passado difícil. Ela cresceu em um abrigo para órfãos, onde conheceu seu grande amor da infância, Bento (Marco Pigossi).

Sangue Bom é uma novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari com direção de núcleo de Dennis Carvalho. No elenco estão Humberto Carrão, Sophie Charlotte, Isabelle Drummond, Herson Capri, Fernanda Vasconcellos, Mayana Neiva, Marco Pigossi, Giulia Gam, Marisa Orth, Marco Ricca, Letícia Sabatella, Malu Mader, Felipe Camargo, Ingrid Guimarães e outros grandes talentos. A próxima novelas das sete da Rede Globo tem estreia prevista para 29 de abril.

Próxima temporada de Malhação intitulada ‘Casa Cheia’

A Rede Globo vem trabalhando com o título provisório “Casa cheia” para a nova temporada de Malhação que estreia no próximo semestre. O título se deve ao fato de a temporada se passar em uma casa cheia de jovens que movimentará a trama. A direção de núcleo foi entregue a Dennis Carvalho (de Lado a Lado) que também comandará Sangue Bom, próxima das 19h de autoria de Maria Adelaide Amaral e Vicente Villari.

A ideia da Rede Globo é reforçar ao máximo a sua novelinha teen e escola de atores, para que além de uma ‘oficina’ ela consiga aumentar seus números e por consequência os números das novelas das 18h. Além de todas essas mudanças no enredo e na direção a emissora também cogita a escalação de grandes nomes de sua dramaturgia para participarem da próxima temporada, o que possivelmente contribuiria com os números e certamente com a qualidade da atração.

Maria Adelaide Amaral, faz balanço de “Ti-Ti-Ti” e elogia o trabalho de Cláudia Raia

A autora Maria Adelaide Amaral fala sobre sucesso da trama entre o público e crítica

A espevitada Jaqueline, vivida por Claudia Raia em ” Ti-Ti-Ti” é, para a Maria Adelaide Amaral, um dos grandes destaques da novela. “Além de Victor Valentim e Jacques Leclair, que já faziam parte da história da televisão. Sem dúvida, o Julinho e o Thales fazem parte dessa lista e também acrescentaria Stéfany, Lipe e Mabi”, avalia a autora sobre os personagens que se destacaram na trama das sete.

A trama, que termina nesta sexta-feira (18), deixou uma mensagem que, de acordo com a autora, ficou clara no dia do aniversário de Jaqueline. “Naquele episódio tinham héteros, gays, freiras e ‘drag-queens’. Foi a celebração da tolerância, do afeto e das diferenças”, acredita. Maria Adelaide Amaral avalia que “Ti-Ti-Ti” foi um sucesso de público e de crítica.

Apesar da satisfação com o trabalho realizado, a autora não esconde a decepção quando vê possíveis desfechos da novela divulgados. “É muito frustrante para nós e o público saber antecipadamente de um final que lutamos tanto para manter em segredo”, diz a autora.

As participações especiais tidas ao longo da trama foram idealizadas desde a sinopse. “Mas tivemos a sorte de contar com pessoas que jamais teríamos imaginado, como a Xuxa”, comemora Maria Adelaide, que começa a trabalhar na minissérie “Dercy” a partir de maio. “Serão quatro capítulos que irão ao ar em janeiro de 2012, depois do ‘Big Brother Brasil'”, adianta a autora.

As informações são do UOL Televisão.

Autora decide final de Marcela em “Ti Ti Ti” nesta quinta

https://i0.wp.com/adrianeboneck.com.br/wp-content/uploads/2010/08/cabelos-tititi-marcela-isis-valverde.jpg

O destino da personagem Marcela, vivida pela atriz Isis Valverde em “Ti Ti Ti” (Globo), será decidido nesta quinta-feira (17).

Fábio Assunção e Rodrigo Lombardi estão no final de “Ti Ti Ti”

Segundo o diretor-geral da trama, Jorge Fernando, foram gravados dois finais alternativos: um em que ela fica com Edgar (Caio Castro) e outro em que ela termina ao lado de Renato (Guilherme Winter).

A autora Maria Adelaide Amaral dará a palavra final hoje.

“Não é fácil fazer uma personagem que fica quatro meses em dúvida”, afirmou Jorge Fernando.

O diretor participou pela manhã de uma coletiva de imprensa em São Paulo sobre o seriado “Macho Man” (também da Globo), que ele vai estrelar.

Ele teve de deixar o local antes do final do evento para voltar ao Rio, onde iria editar o último capítulo da novela.

Para ele, Isis Valverde foi uma das grandes revelações da trama.

“Queria que ela tivesse a chance de uma nova namoradinha do Brasil”, afirmou ele.

ÚLTIMO CAPÍTULO

O último capítulo de “Ti Ti Ti”, programado para amanhã, será “uma grande celebração”.

De acordo com Jorge Fernando, as duas últimas semanas da trama já foram apresentando os finais de quase todos os personagens.

“A gente não quer que seja um daqueles finais de novela atropelados”, justificou.

Na segunda-feira, estreia na mesma faixa “Morde & Assopra”, de Walcyr Carrasco.

As informações são da Folha de São Paulo.

Autora adianta final de Mabi em ‘Ti-ti-ti’: ela e avó terão uma grife

Sucesso com seu blog sobre moda, Mabi (Clara Tiezzi) vai se aventurar em um novo negócio em “Ti-ti-ti”. Autora da novela, Maria Adelaide Amaral adianta com exclusividade ao blog qual será o desfecho da personagem.

– A Mabi vai se unir à avó Cecília na concepção de uma nova grife – revela.

A atriz – que chegou a ser elogiada por  Regina Guerreiro, figura-chave da moda brasileira – queria exatamente este final para sua personagem, como revelou em entrevista ao blog.

– Ela tinha que acabar com sua própria grife, mesmo sendo criança. O pai dela é cheio da grana, ele pode fazer isso por ela – declarou.

Fonte: Blog Patrícia Kogut

Autora tem sinal verde para escrever microssérie sobre Dercy Gonçalves

A autora Maria Adelaide Amaral, de “Ti-Ti-Ti”, recebeu na segunda-feira sinal verde da Globo para desenvolver, em quatro capítulos, uma microssérie sobre a vida e carreira de Dercy Gonçalves. Projeto aprovado. Exibição no ano que vem, janeiro, logo no começo do mês.

“Dercy” terá como protagonistas, em fases diferentes, as atrizes Heloisa Périssé e Fafy Siqueira, e direção-geral de Dennis Carvalho, hoje em “Insensato Coração”. Por causa dele, só será possível iniciar o trabalho de produção em fins de julho, quando estarão praticamente concluídas as gravações da novela. O último capítulo irá ao ar no dia 12 de agosto.

Com mais de um século de vida, a história da comediante atravessou período de importantes transformações observadas no mundo, 1907 – 2008. Contar tudo isso, em apenas quatro capítulos, será sem dúvida um grande desafio.

Essas informações são do site UOL Televisão por Flávio Ricco

“Ti Ti Ti” entra em sua reta final com muito humor, drama e homenagens

Em breve a Globo anunciará os últimos capítulos de “Ti-Ti-Ti”, que serão marcados por algumas homenagens que Maria Adelaide Amaral ainda pretende fazer na novela. A autora quer mostrar ao público toda a sua admiração a Cassiano Gabus Mendes, o autor do texto original e que levou a dramaturga para a televisão. Além de reconhecer seu mestre, Maria Adelaide Amaral quer comemorar o sucesso de um remake que poderia não ter brilho, afinal a história permanecia viva e forte na memória do telespectador e, como o original se transformou em referência na teledramaturgia e marcou a carreira de muitos atores, qualquer resgate seria delicado. A nova versão explodiu em audiência, chegou a se equiparar em números com “Passione” e conquistou os mais jovens e os mais velhos. Nesta segunda-feira, a novela fechou com 31 pontos de média em São Paulo, o equivalente a 54% de share, uma marca que reforça o sucesso da trama.

“Ti-Ti-Ti” vai bem porque Maria Adelaide Amaral e sua equipe encontraram o ponto certo entre humor e drama, núcleos que se misturam perfeitamente e levam o telespectador a se envolver com todas as histórias paralelas. O bom texto faz com que até os atores mais jovens (com menos experiência) consigam brilhar nas cenas exibidas todas as noites. “Ti-Ti-Ti” já deixa saudade e para permanecer como sucesso precisa respeitar o tamanho exato de capítulos. É que em televisão quando a coisa dá certo muitos resolver esticar para aproveitar os números. Essa medida acaba prejudicando a obra.

Fonte: Parabólica

Colorida e feliz, Ti-ti-ti espanta maré baixa às 19h

Isac Luz/Globo
Com seu clima colorido e muito bem-humorado, em três semanas no ar, a novela Ti-ti-ti conseguiu espantar a má fase no horário das 19h deixada pela antecessora Tempos Modernos, que teve 24 pontos de média geral no Ibope.

O remake assinado por Maria Adelaide Amaral, depois de estrear com 29 pontos, conseguiu registrar média de 31 pontos na última semana.

A divertida disputa entre os costureiros Jacques Leclair e Victor Valentin já chegou ao Twitter, rede de relacionamentos na qual os personagens já contam com perfis fajutos, o que não deixa de ser uma espécie de termômetro para o sucesso deles.

Para Roberto Edson de Almeida, mestre em comunicação social pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Ti-ti-ti é bem-sucedida porque apostar em elementos clássicos do folhetim típico do horário das 19h.

Tempos Modernos tinha diálogos mais pretensiosos e que não eram coloquiais, o que dificultava a identificação com o grande público. Além disso, era bem soturna. Em Ti-ti-ti os diálogos são simples e a novela é mais solar e alegre.

O especialista aponta a veia cômica da adaptação para a obra de Cassiano Gabus Mendes como elemento crucial para o sucesso.

– O horário das 19h é caracterizado por novelas leves e bem-humoradas, e o público tende a gostar mais do que ele está acostumado.

Almeida ainda elogia o trabalho de Maria Adelaide na abordagem da homossexualidade dos personagens Julinho (André Arteche) e Osmar (Gustavo Leão), que chamara a atenção do público já na primeira semana da novela, mesmo com a morte precoce de Osmar no quarto capítulo.

– Eles conquistaram o público por serem de bom caráter. Um avanço foi a proximidade física entre o casal homossexual. Apesar de não ter existido o beijo, dava para ver que eles eram carinhosos, sem ser apelativo ou vulgar. A autora conseguiu andar bem em cima dessa linha tênue que é abordar a homossexualidade na TV.

E o assunto continua na pauta no folhetim, mesmo com a morte de Osmar, já que a mãe do personagem, Bruna (Giulia Gam) não aceita a ideia de que o filho fosse gay, preferindo se iludir com a certeza de que o filho que Marcela (Ísis Valverde) espera é seu neto – o que não passa de uma armação de seu marido, Gustavo (Leopoldo Pacheco), para vê-la feliz.

Em declaração ao site da trama, o ator André Arteche, que vive Julinho, diz que, para ele, Bruna sabe, sim, a verdade sobre seu filho.

– Acho que ela sabe de tudo, que o Osmar era homossexual e que o Julinho era o companheiro dele. Ela pode escolher não aceitar ou então esconder o jogo.

Pelo jeito, apesar dos contornos coloridos da disputa entre os costureiros, Ti-ti-ti não deixa o drama completamente de lado. Esperta, a autora só não erra na dose, deixando tudo na medida que o povo gosta.

Por: Miguel Arcanjo Prado, R7
%d blogueiros gostam disto: