“Macho Man”: Globo descarta nova temporada da série

Apesar da Globo só anunciar as novidades da sua programação para 2012 no dia 5 de março, uma ausência é dada como certa na grade da emissora: “Macho Man”. A série não terá uma terceira temporada.

Essa decisão, segundo o jornalista Fernando Oliveira do IG, foi tomada em comum acordo entre Jorge Fernando, diretor da série, e a alta cúpula global. A agenda de Jorge impede a realização de uma nova temporada da atração.

Jorge Fernando estará a frente do remake “Guerra dos sexos”, novela das 19h que substitui “Marias do Lar” no final do ano, na Globo.

Elenco de ‘Macho Man’ grava novos episódios da série no RJ

Ontem (19), o elenco do seriado Macho Man, da TV Globo, recebeu a imprensa, que acompanhou a gravação de um episódio da segunda temporada e pode conversar com os atores no Projac, Rio de Janeiro.

Estiveram presentes Jorge Fernando, Marisa Orth, Ingrid Guimarães, Helena Fernandes, Luanna Jimenes, Roney Facchini, Rapha Veles, Rita Elmor e Natalia Klein.

“Macho Man”: Valéria sonha que Zuzu é cachorro-quente

 

Sonhos perturbadores vão manter Zuzu (Jorge Fernando) e Valéria (Marisa Orth) acordados na noite desta sexta-feira (17/06), em “Macho Man”. A assistente vai sonhar que o cabeleireiro, fantasiado de cachorro-quente, se oferece para ela. Ele, por sua vez, vai visualizar a amiga fazendo um strip-tease durante seu sono. Ao acordar, no meio da madrugada, ela corre para a casa do cabeleireiro com um livro de interpretação de sonhos que supostamente explica que o delírio que teve significa que eles precisam discutir a relação.

 Em meio a um intenso debate, eles descobrem que se amam mais quando se odeiam e passam o resto da noite juntos. No dia seguinte, Nikita desconfia do atraso dos dois colegas e vai até a casa de Zuzu. Sem saber como explicar a situação para a recepcionista, Valéria inventa que está  usa o amigo gay para ajudá-la a ter um filho, já que seu relógio biológico avança rapidamente. A confusão aumenta quando a história vira a maior fofoca do salão.

Essas informações são do site Fabio TV

Jorge Fernando emenda outro trabalho na TV

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20110415131049.jpg

O diretor Jorge Fernando segue emendando um trabalho atrás do outro.

Depois de dirigir o bem sucedido remake de “Ti Ti Ti”, Jorginho está no seriado “Macho Man”, onde dá vida ao protagonista Nelson.

Agora, Jorge Fernando voltará ao seu posto de diretor no próximo dia 28, quando se reunirá com Maria Adelaide Amaral para dar os primeiros passos para a produção de “Dercy”.

As atrizes Fafy Siqueira e Heloisa Perissé são as mais cotadas para interpretar Dercy Gonçalves na série que a Globo irá produzir sobre a atriz e comediante.

Dercy Gonçalves começou sua carreira no teatro e, posteriormente, trabalhou também no cinema e na televisão, tendo participado das principais emissoras do Brasil, como TV Excelsior, Globo e SBT. Dercy ficou famosa pelo seu humor cheio de palavrões em uma época mais moralista em nosso país. A atriz morreu em 2008, com 101 anos.

Essas informações são do site NaTelinha.

Jorge Fernando grava novo seriado com Marisa Orth

Mesmo com o final da novela “Ti-ti-ti”, que acabou na semana passada, o ator e diretor Jorge Fernando não teve tempo para descansar. Nesta segunda-feira (21), ele voltou ao trabalho à frente das câmeras para as primeiras gravações do seriado “Macho Man”, que tem previsão de estreia para 8 de abril.

 


Jorge Fernando incorpora seu novo personagem

A história gira em torno de Nelson, um cabeleireiro ex-gay que trabalha com sua assistente ex-gorda, Valéria, papel de Marisa Orth. Nesta semana eles gravaram sequências do primeiro episódio, que antecede o momento em que Nelson sofre o acidente que irá mudar sua vida. Na casa da amiga, o cabeleireiro, ao perceber que Valéria continua infeliz mesmo depois de ter perdido 20 quilos, tenta animá-la com alguns de seus truques profissionais.

 


Jorge Fernando e Marisa Orth fazem caras e bocas

Com informações do Portal IG, da coluna Gente

Câmeras do “Vídeo Show” atrapalha gravação de “Ti-ti-ti”

https://i1.wp.com/fica-dica.com/wp-content/uploads/logo_tititi.jpg

Durante a gravação do acidente de Marcela (Ísis Valverde), em “Ti-ti-ti”, as câmeras do programa “Vídeo Show” apareceu ao fundo.

Segundo consta na coluna “Zapping”, a cena que tinha sido feito uma única vez. O Diretor Jorge Fernando ficou visivelmente irritado.

Conheça ‘Macho Man’ o novo seriado da Rede Globo

https://ocanal.files.wordpress.com/2011/03/globo.jpg?w=300É possível alguém ser ex-gay? Como seria a vida de um gay que vira heterossexual? Para os autores Fernanda Young e Alexandre Machado, famosos por criar tipos únicos, tudo é possível – e permitido -, principalmente, na comédia. “Ao contrário das novelas, que dependem muito das suas tramas, seriados de comédia dependem de personagens interessantes. Por que ninguém fez até hoje uma história sobre um ex-gay? Já se fez de homem que vira mulher e vice-versa, adulto que vira adolescente e vice-versa, rico que vira pobre e vice-versa – até de hétero que vira gay já se fez. Nós resolvemos, portanto, investigar como seria a vida de um gay que vira hétero”, diverte-se Fernanda.

https://i0.wp.com/lh3.ggpht.com/_dR6lMNpL0OM/TX5nvHsI5zI/AAAAAAAAFYs/n1Hsj8yZ2go/image_thumb%5B2%5D.png

Este é o ponto de partida de ‘Macho Man’, seriado que estreia em abril na nova grade da Rede Globo, com texto de Alexandre Machado e Fernanda Young e direção geral de José Alvarenga Jr. O programa vai contar a divertida e nada convencional jornada do casal de amigos Nelson (Jorge Fernando) e Valéria (Marisa Orth) em busca da adaptação a suas novas realidades de homem heterossexual e mulher magra. Como comenta o autor Alexandre Machado, são as quebras de paradigmas vividas pelos personagens desajustados e bem-humorados de ‘Macho Man’ que os tornam mais fascinantes: “É a ideologia da diversidade elevada à mais pura individualidade. Cada um é o que é, independente dos rótulos que são colocados. Não existe nada mais diferente do que uma pessoa e outra. E é isso que torna a vida, e os seriados, interessantes.”

Para a interpretação de personagens tão particulares, a escalação teve que ser precisa. Convicto de que o papel do cabeleireiro deveria ter uma alegria natural – que viesse do ator e não da interpretação -, o diretor-geral do programa José Alvarenga Jr. não titubeou ao pensar no ator/diretor Jorge Fernando para viver o ex-gay Nelson: “Pensei em alguém parecido com o Jorge Fernando, até que considerei – por que não ele mesmo?”, conta o diretor. ‘Macho Man’ marca, então, a volta de Jorge Fernando à atuação, depois de uma longa e bem-sucedida temporada na posição de diretor – sendo seu mais recente trabalho a novela das sete ‘Ti-ti-ti’. Já a escolha de Marisa Orth foi natural. A atriz já havia participado de ‘Os Normais – o filme’, outra vitoriosa parceria do trio formado por Fernanda Young, Alexandre Machado e José Alvarenga Jr.. “Marisa é muito ágil e rápida, características que se ajustam perfeitamente aos textos de Alexandre e Fernanda”, explica Alvarenga.

O bofe e a fina

Nelson (Jorge Fernando) é um cabeleireiro totalmente bem resolvido e, principalmente, muito feliz com sua opção sexual. Até que, um belo dia, ao ser atingido pelo salto de uma drag-queen na pista de dança de uma boate gay, perde os sentidos. Ao acordar, tudo estaria bem se não fosse por um pequeno detalhe: ele passa a se interessar por mulheres. Sem saber como se comportar no novo mundo, só uma pessoa pode lhe apoiar: Valéria (Marisa Orth), sua amiga e colega de trabalho, que está deprimida por não ter sucesso com os homens, mesmo depois de ter perdido 20 quilos. Em troca, Nelson vai ajudá-la a recuperar sua autoestima e se adaptar ao universo dos magros, começando por uma limpa nas lingeries da amiga, dando fim às antigas calçolas plus size.

Enfrentando o novo mundo

Que Nelson é gay, todo mundo sabe, mas que ele passou a se interessar por mulheres só Valéria (Marisa Orth) passa a ter conhecimento. Após o acidente, o cabeleireiro revela seu segredo à amiga e pede que ela não conte o ocorrido a ninguém, temendo que a nova opção sexual comprometa sua carreira. Valéria, então, passa a lhe prestar consultoria, ensinando-o tudo sobre a psique feminina. O primeiro passo é mudar o seu visual, tirando qualquer peça – que ele possa chamar de “chiquérrima” – de seu guarda-roupa. Depois, é hora de frequentar novos ambientes, onde haja mulheres livres e disponíveis – boates, exposições de arte, piano-bar e, até mesmo, supermercado, “ lugar onde as maduras deixam de ser frescas e ficam em oferta”.

Nelson vai precisar de muito esforço para perder seus hábitos expansivos e suas gírias descoladas, mas a principal dificuldade será compreender as sutilezas necessárias para paquerar e conquistar uma mulher. Ser engraçado, enfrentar homens brigões, dançar com os braços duros, ouvir música cafona, ser romântico e, acima de tudo, agir naturalmente. Todas as instruções de Valéria vão deixá-lo ainda mais confuso e suscetível a confusões hilárias. A amiga também não terá sorte com os homens. Pior do que isso, ela vai descobrir das formas mais engraçadas que fazia mais sucesso com eles quando estava acima do peso. Suas frustrações se somam à medida que ela é dispensada por um ex-caso, que admite sentir falta de suas antigas curvas, e culmina no fato de não chamar  mais a atenção do açougueiro do supermercado, que gostava de seus quilos extras.

Dando pinta no salão

No salão Fréderic’s, onde Nelson é cabeleireiro e Valéria, assistente, o segredo dele deve ser guardado a qualquer custo. Quando Fréderic (Roney Facchini), dono do salão, fica sabendo de um suposto boato a respeito da nova preferência sexual de Nelson, logo alerta o funcionário para abafar a notícia, ou ela pode prejudicar seu trabalho. A fofoca é trazida pela recepcionista Nikita (Natalia Klein), a funcionária gótica que tem sempre histórias bizarras para ilustrar seus comentários diariamente compartilhados com o cabeleireiro.

Uma das frequentadoras assíduas do local é Vendetta (Rita Elmor), uma ex-modelo que hoje, falida, precisa se conformar com os trabalhos que consegue, como o de recepcionista em feira de agropecuária. A maior parte do tempo que fica no salão passa conversando com Valéria e Tifany (Luanna Jimenes), a carreirista e também assistente do Fréderic’s. A intensa conversa das duas irrita Fréderic que, com mania de perseguição, pensa que todos os funcionários confabulam a seu respeito.

Perfil dos personagens

Nelson (Jorge Fernando) – Cabeleireiro, amigo de Valéria (Marisa Orth) e também seu colega de trabalho no salão Fréderic’s. Um acidente faz com que deixe de ser gay e passe a se interessar por mulheres. No entanto, ele não perde os principais aspectos de sua personalidade.

Valéria (Marisa Orth) – Assistente do salão Fréderic’s. Perdeu 20kg recentemente, deixando de ser gorda. É amiga de Nelson e vai ajudá-lo a conquistar mulheres, ensinando tudo que ele precisa saber sobre a psicologia feminina.

Nikita (Natalia Klein) – Recepcionista gótica do salão Fréderic’s. Diariamente passa os recados das clientes para Nelson (Jorge Fernando), assim que ele chega. Tem sempre uma história estranha para ilustrar seus comentários.

Venetta (Rita Elmor) – Cliente frequente no salão Fréderic’s. É ex-modelo e decadente.

Tifany (Luanna Jimenes) – Oportunista, é assistente do salão Fréderic’s.

Fréderic (Roney Facchini) – Dono do salão, ele tem mania de perseguição. Sempre acha que os funcionários estão falando dele.

Os autores Fernanda Young e Alexandre Machado

Parceiros no casamento e também na vida profissional, Fernanda Young e Alexandre Machado assinam juntos os roteiros de diversas bem-sucedidas produções, como ‘Os Normais’. O programa, que marcou a estreia da parceria com o diretor José Alvarenga Jr., fez longa carreira na telinha, gerou o filme ‘Os Normais – o filme’ e a continuação ‘Os Normais 2 – A noite mais louca de todas’. O casal é também responsável pela autoria das séries ‘Os Aspones’, ‘Minha Nada Mole Vida’, ‘O Sistema’, ‘Separação?!’ e o especial de fim de ano ‘Nada Fofa’.

O que o público pode esperar do programa?

Fernanda Young: O nosso estilo de humor, que faz você rir de si mesmo.

Como foi a escolha do elenco?

Fernanda Young: Sempre opinamos, mas a ideia do Jorginho e da Marisa foi do Alvarenga. Indicamos três nomes do elenco fixo: Natalia Klein (que vimos atuando e achamos ótima), Rita Elmor (que fez um excelente trabalho como a chefa bipolar em ‘Separação?!’) e Luanna Jim (que trabalhou comigo numa performance que fiz aqui em São Paulo).

Nelson cita várias gírias do mundo gay e Valéria tem muitas teorias a respeito dos desejos femininos. Qual foi a fonte de inspiração para criar estes textos?
Alexandre Machado: Algumas gírias nós pesquisamos na internet, algumas inventamos, outras vêm dos nossos amigos gays. As teorias sobre o desejo feminino vêm das nossas cabeças mesmo, adaptadas ao perfil da personagem Valéria.

Vocês tomaram emprestadas histórias pessoais ou de amigos na composição dos personagens deste programa?

Fernanda Young: O programa apresenta uma visão ácida sobre o mundo dos relacionamentos heterossexuais – e essa visão vem de nossas experiências. Também frequento muito salão de cabeleireiro e é inevitável que os tipos e as fofocas que presencio estejam representados.

O diretor-geral José Alvarenga Jr.

O diretor carioca cresceu sob a influência do cinema, sendo naturalmente este o meio onde começou a trabalhar, colaborando em “Os Fantasmas Trapalhões”. Na TV, estreou ao lado de Daniel Filho em ‘A Justiceira’ e, de lá para cá, foi responsável por grandes sucessos nas duas mídias. No cinema, dirigiu ‘Divã’, obra que está adaptando para televisão. O caminho contrário ele já havia experimentado com ‘Os Normais’, que nasceu na TV e ganhou duas adaptações para o cinema. A série e filme estrelados por Luiz Fernando Guimarães e Fernanda Torres são apenas algumas de suas parcerias com os autores Fernanda Young e Alexandre Machado. Juntos eles também são responsáveis por ‘Os Aspones’, ‘Minha Nada Mole Vida’ e o mais recente ‘Separação?!’.

Que particularidade você destacaria na direção de uma comédia?

José Alvarenga Jr.: A comédia ter que ser quente, é um pouco um clima de caçada. Meu estilo acompanha o de Alexandre e Fernanda, que tem um texto rápido. O ambiente de trabalho tem que vibrar, ser quente, deixando o nível de concentração mais rápido. Se não for assim, é como assistir um filme 3D sem óculos.

Apesar das gravações ainda não terem começado, há como adiantar algo sobre como será a condução da direção do programa?

José Alvarenga Jr.: O que a gente procura fazer é entender o fluxo do texto. Isto é muito importante, porque cada autor tem uma musicalidade diferente. Eu e minha equipe damos ouvido a isto o tempo todo, pois é o que dá identidade para o autor. Nesse caso específico, em que os autores são Alexandre e Fernanda, com quem tenho uma parceria há muito tempo, procuro ser amante do texto, participamos mais junto a ele. E este é um texto que proporciona improvisos, Alexandre sempre proporciona o salto para nós, até porque temos a segurança que embaixo está uma rede de apoio. E, claro, trabalhamos tudo isso com uma qualidade visual, para que o programa seja bonito aos olhos. É o que interessa.

O que vocês planejam para a trilha sonora de ‘Macho Man’?

José Alvarenga Jr.: A gente está preparando uma trilha para que as pessoas dancem em casa, com muito Barry White, Village People… Será um clima “discoteque”! A gente quer fazer um programa muito alegre, divertidíssimo e contagiante. Aí entra também a importância da escolha do Jorginho, que é um ator extremamente contagiante.

 

Informações da Diretoria de Comunicação Transmídia | CGCOM

Jorge Fernando não terá férias após fim de “Ti Ti Ti”

https://i2.wp.com/www.historiadocinemabrasileiro.com.br/wp-content/uploads/2011/01/FOTO-Jorge-Fernando.jpg
“Ti Ti Ti” está em sua reta final na Globo, e o diretor Jorge Fernando ainda não terá férias na emissora. Após emendar “Caras & Bocas” com o folhetim de Maria Adelaide Amaral, ele emplacará um terceiro trabalho antes das férias.
Jorge foi convidado para participar da série “Macho Man”, escrita por Fernanda Young e Alexandre Machado. Entretanto, diferente de seus dois últimos trabalhos, ele será um ator, e não o diretor.
O seriado terá Jorginho como protagonista, um ex-gay (Nelson) que acredita ter se tornado heterossexual depois de ter sofrido um acidente.

Por Marcos Aurélio, e com informações do Jornal Extra.

%d blogueiros gostam disto: