Roberto Carlos diz ser a favor do casamento gay

O cantor Roberto Carlos atendeu a imprensa na tarde desta quinta-feira (05), no cruzeiro ‘Emoções em Alto Mar’, que estava ancorado em Búzios, no Rio. Durante a entrevista, o Rei não hesitou ao ser questionado sobre assuntos polêmicos, entre eles o casamento gay.

Roberto Carlos (Foto: Marcelo Sá Barreto/Agnews)

Foto: Marcello Sá Barreto/Ag.News

“Eu sou a favor do casamento gay. Pode rolar uma homenagem ao público gay. Um dia quem sabe eu faça uma música para eles”, afirmou ele, segundo informações do ‘Ego’. Roberto também foi perguntado sobre a suposta traição dele a Tim Maia.

Sem medir esforços, o músico explicou: “Nunca briguei com o Tim Maia. Sei da história toda. Em primeiro lugar quando fizemos o grupo, eu, Erasmo e Tim tínhamos o objetivo de fazer carreira solo. Nunca existiu a ilusão de que eu não queria fazer carreira solo. Quando eu saí do grupo não teve nenhuma reação. Não existiu aquilo de jogar pão. Isso é uma mentira”.

Lima Duarte diz querer interpretar um gay em novela

lima duarte
Durante uma entrevista ao “Pânico na Band” deste domingo (21),  o ator Lima Durante falou sobre o desejo de fazer um papel diferente na telinha nos próximos anos.
Ele, que participou do especial “Didi e O Segredo dos Anjos” exibido ontem na Globo, disse para o repórter e humorista Gui Santana: “Queria fazer um senhorzinho gay”.
Na entrevista, ele imitou um conhecido seu que é homossexual, que lhe serviria de inspiração.
Lima Duarte está longe das novelas desde “Araguaia”, em 2010, e espera o papel ideal para retornar às novelas.
“Meu leque de personagens diminuiu com o passar do tempo e acho que não tem muitos personagens para a minha idade”, acredita ele.

 

Evaristo Costa homenageia gays na bancada do “Jornal Hoje”

Evaristo Costa prestou uma homenagem aos gays na edição do “Jornal Hoje”, exibida na tarde deste sábado (25). O jornalista da Globo resolveu prestar uma homenagem à todos os LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) na bancada do telejornal.

Costa vestiu uma gravada com as cores do arco-íris, símbolo dos movimentos em defesa dos direitos dos homossexuais. É que essa é a semana da maior parada gay do mundo, realizada na Avenida Paulista, em São Paulo.

Ainda na mesma edição, o jornalista também noticiou a aprovação do Casamento Gay, pelo governo Nova York, nesta sexta-feira (24).

Fonte: Portal PS

Ator de Cordel Encantado se “encanta” com meninos em site pornô gay

Quem diria, hein? Um dos integrantes do reino fictício de Seráfia, da trama de “Cordel Encantado” deixou um rastro em seu perfil no Facebook um tanto quanto suspeito.

Os registros são de julho do ano passado. Um ator da trama curtiu ver videozinhos de um site de cameras ao vivo, com conteúdo gay explícito. O jovem ator “curtiu” ver dois “mocinhos” se masturbando ao vivo no “CAM4”. Os registros foram apagados, mas os traços ficaram em seu histórico no Facebook.

 

 

O ator em questão é Maurício Destri, de 19 anos, o príncipe Dom Inácio de Cordel Encantado, ele era garçom antes de ser descoberto por um preparador de elenco da emissora.

 

Com informações do Portal PS

Curiosidade: cena exibida pelo SBT não foi o primeiro beijo gay da TV brasileira. Assista

Olha só que curioso: a cena de beijo entre duas pessoas do mesmo sexo levada ao ar pelo SBT na última quinta-feira não foi a primeira da TV brasileira. Na verdade, o primeiro beijo gay ocorreu há 21 anos, na minissérie “Mãe de Santo”, exibida pela extinta TV Manchete. Em cena estavam os atores Raí Bastos e Daniel Barcelos protagonizaram a cena. Isso não tira em nada o mérito do SBT, claro. Ainda mais porque na produção que foi ao ar em 1990, a sequência era mostrada contra a luz, ou seja, só se via as sombras do intérpretes. “Amor e Revolução” foi mais audaciosa e mostrou sem esconder nada. Numa brincadeira, a trama pode ficar com o título de “primeiro beijo gay de luz acesa da TV brasileira”.

Relembre a sequência original:

Estas informações são da coluna NaTV

Aguinaldo Silva critica tão aguardado beijo gay da novela do SBT

Imagem

Sempre antenado, Aguinaldo Silva reservou o final da noite de quarta-feira (11) para conferir o primeiro beijo gay exibido em uma novela brasileira. No entanto, a sequência romântica da novela Amor e Revolução, do SBT – escrita por Tiago Santiago para as personagens lésbicas de Luciana Vendramini e Giselle Tigre –, foi adiada pela rede de Silvio Santos para esta quinta-feira (12).

Indignado com a decisão da emissora, Aguinaldo Silva usou seu Twitter para comentar o caso.

“Gente, não teve o beijo gay ontem no SBT! O autor da novela diz que foi ‘estratégia pra bombar a audiência hoje’. Será que foi estratégia mesmo, ou Silvio Santos fez: ‘ho-ho-ho, corta isso, sem essa de beijo gay’? Sei não, mas isso está me cheirando a 171. Na novela da Glória Perez foi a mesma coisa. Anunciaram até o fim, a novela bombou e cadê o beijo? Se o beijo gay rende audiência mesmo sem acontecer, então pra que mostrá-lo? É só anunciar que dessa vez vai ter e os otários caem no conto”, escreveu Aguinaldo Silva. 

(via Ofuxico)

Cadê?!? “Amor e Revolução” não exibe beijo gay

“Amor e Revolução” que prometia o beijo gay nesta quarta-feira(11) enrolou, enrolou e não teve beijo gay, os internautas ficaram na espectativa e fizeram hashtag #amorerevolução ficar nos assuntos mais comentados do twitter nacionalmente.

Cadê?!? tiraram do ar igual os outros beijos gays? o autor Tiago Santigado se explica “Vai ser nesta quinta sem falta!” disse. “Foi estratégia de programação pra bombar nesta quinta!” completou.  Na verdade não foi uma boa estratégia, o telespectador pode se sentir enganado e a novela pode perde a confiança.

Primeiro beijo gay da história da TV brasileira vai ao ar hoje. Relembre os beijos censurados das novelas

Luciana Vendramini e Gisele Tigre: quebrando tabus

O SBT colocará no ar na noite desta quarta-feira (11) algo que ninguém teve coragem de exibir até hoje: um beijo gay. A cena irá ao ar no último bloco da capítulo de “Amor & Revolução” e envolverá as personagens de Luciana Vendramini e Gisele Tigre. Pode ser apenas o começo de um relacionamento mais, digamos, quente entre as duas, já que está aberta a possibilidade de uma sequência de amor entre as duas, na cama – nada explícito, claro, antes que os mais afoitos se exaltem.

Há quem diga que o toque entre lábios do mesmo sexo já ocorreu na TV Tupi, em 1963, num teleteatro chamado “Calúnia”. A cena teria envolvido Geórgia Gomide e Vida Alves, mas não foi registrada e não existe hoje. Vida Alves, aliás, pode levar o título de grande beijoqueira da televisão nacional porque foi pioneira duas vezes: deu o primeiro beijo hetero e homossexual.

Nos últimos anos, uma parcela dos espectadores tem vivido com apreensão esse momento, esperando o dia em que o tão esperado beijo vá ao ar. Alguns atores da Globo bem que tentaram, mas deram com a cara na porta. Os primeiros casais homossexuais bem aceitos nas novelas surgiram no final dos ano 80 e começo dos 90. Em “Vale Tudo”, Cristina Prochaska perdia a companheira e chegava a disputar sua herança. Em “A Próxima Vítima”, André Gonçalves e Lui Mendes foram um par bem aceito pelo público, mas que apenas se abraçava enquanto outros personagens se beijavam na mesma cena. Já em “Torre de Babel”, a audiência ficou tão chocada de ver duas mulheres dividindo a mesma cama que a solução foi matar as personagens de Silvia Pfeiffer e Christiane Torloni – uma das atrizes voltou depois à trama.

Relembre alguns dos casais gays que não tiveram direito a um beijo nas novelas.

Clara (Paula Picarelli) e Rafaela (Alinne Moraes), de “Mulheres Apaixonadas”

As duas adolescentes começaram a novela como amigas, mas logo mostraram que tinha algo mais naquela relação. Chegaram a morar juntas, enfrentaram uma mãe preconceituosa e brigas no colégio, mas nem isso deu a elas o esperado beijo. O máximo que chegou a acontecer foi um selinho, numa peça de teatro, no último capítulo. Como estavam no palco – e uma delas estava fantasiada de Romeu (!) – não valeu.

Junior (Bruno Gagliasso) e Zeca (Erom Cordeiro), em “América”

O beijo entre o peão e o filho de fazendeira chegou a ser gravado, mas, horas antes de ir ao ar, foi vetado pela direção da Rede Globo. A decisão irritou aos atores, a autora Gloria Perez e aos 66 pontos de audiência que assistiram o último capítulo.

Jennifer (Bárbara Borges) e Eleonora (Mylla Christie), em “Senhora do Destino”

As personagens apareciam na cama, até se cumprimentavam com selinho, mas também sofreram com a censura. Gravaram uma cena de banho em dupla que não foi ao ar por ser considerada muito ousada. Pelo menos a barreira da cama foi quebrada. As duas já apareceram entre os lençóis. Mas beijo, nem pensar.

Hugo (Hugo Leão) e Fábio (Fábio Henriquez), em “Clandestinos”

Estes dois sequer formavam um casal. Eram apenas dois atores amigos que não viam há muito tempo e se cumprimentavam de maneira, digamos, efusiva. Foi mais um caso de sequência gravada, mas limada na hora da edição.

Thales e Julinho, em “Ti Ti Ti”

Toda a audiência de “Ti Ti Ti” torceu pelo final feliz dos moços, mas a direção entendeu que era muito mais “subversivo” mostrar dois homens falando “eu te amo” do que se beijando. Era fofo ver os dois, claro, mas faltou coragem.

Estas informações são da coluna Natv.

Em ‘Insensato Coração’, Paula será largada pelo namorado, que descobrirá que é gay

Paula (Tainá Muller): medo de “ficar para titia”

A dondoca Paula (Tainá Muller) está prestes a passar por uma decepção em “Insensato Coração”. Não bastasse se envolver com um rapaz pobre – o que sua personagem considera um defeito -, ela ainda será largada por ele. Nos próximos capítulos, Eduardo (Rodrigo Andrade) revelará para a garota que o relacionamento dos dois tem um empecilho maior do que o abismo financeiro. Ele se descobrirá gay e revelará para a filha de Cortez (Herson Capri) que prefere se relacionar com homens. Paula receberá a notícia de maneira incrédula e sofrerá com o medo de “ficar para titia”. No futuro, Eduardo se relacionará com um outro rapaz, que deve entrar na trama em junho e deve ser vivido por Marcos Damico.

Com informações da coluna Natv.

Christian e Anahí lançam clipe voltado ao público gay; Veja o vídeo

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20110327103835.jpg

Christian Chávez e Anahí lançaram neste final de semana o clipe da música “Libertad”, voltada ao público gay.

Gravado em Los Angeles, o clipe mostra Christian se confessando com um padre, porém diz que não tem nenhum pecado para confessar, já que ser gay não é errado.
Com uma participação especial da também mexicana Anahí, a dupla promete causar polêmica com este novo clipe.
Anahí e Christian estão no Brasil realizando uma turnê juntos. Ontem o show “Go Any Go – Libertad Tour” foi realizado no Via Funchal em São Paulo, já hoje o show acontece no Vivo Rio, no Rio de Janeiro.
Os ingressos ainda estão a venda na bilheteria do local.
Veja o vídeo:
Veja mais clicando AQUI.

Armando Babaioff fala sobre o indeciso Thales de “Ti-Ti-Ti”

O ator Armando Babaioff (14/3/2011)

Esta é segunda vez que Armando Babaioff, o Thales de “Ti-Ti-Ti” faz um personagem homossexual na carreira. A primeira foi no espetáculo “Quietude”. “Na peça teve beijo. Na TV eu acho complicado, principalmente pelo horário. Tenho certeza de que não vai ser essa novela que vai inaugurar. Não serei eu a entrar na estatística”, brinca. Na reta final do folhetim de Maria Adelaide Amaral, o personagem de Babaioff mostra certa insegurança frente as investidas de Julinho, vivido por André Arteche, para assumir o relacionamento entre eles.

Thales começou a novela como um surfista dono de uma confecção. O problema era que só herdaria a fortuna de sua família se ele aceitasse se casar. “Tudo que eu sabia do era o que tinha na sinopse. O nome, o que ele fazia, mas não dizia ao certo a função dele na trama”, conta. A escolhida para ser sua esposa foi Jaqueline, vivida por Cláudia Raia. Mas a relação pouco lembra a de marido e mulher, pois ela virou conselheira afetiva do rapaz.

Como foi o seu processo de criação para o Thales de “Ti-Ti-Ti”?
Por ser um personagem da praia e pelo fato da novela se passar em São Paulo, então na minha concepção eu sabia que eu tinha de alguma maneira “levar esse sol” para São Paulo. Foi uma metáfora que criei para mim. Ele não estava vindo de Saquarema à toa. Ele não estava vindo de alguma praia à toa. Na mesma hora me veio um personagem solar, pra cima. Quem pratica o surfe não é uma pessoa parada. Então tive essa preocupação para poder ter algum suporte onde me agarrar.

Que característica te atrai na profissão?
O processo criativo me seduz em qualquer instância. Gosto de criar. Para mim a parte mais divertida é a criação. E fazer novela é muito divertido porque você está fazendo algo que acaba, mas ela só conta um período da história de vida destes personagens, então é um personagem que não vai estar acabado.

Quando você viveu o encrenqueiro Felipe, de “Páginas da Vida”, teve de aprender artes marciais. Qual a importância deste tipo de laboratório na sua interpretação?
Tive a oportunidade de fazer algo completamente fora de minha realidade. Eu nunca tinha frequentado aulas de jiu-jitsu, judô, karatê. Tive a chance de estudar isso durante dois ou três meses. Foi muito bom esse “mergulho”.

Na novela “Duas Caras”, o Beloniel deixou de ser um vagabundo para procurar emprego. Como você lida com a função do marketing social na interpretação?
Contávamos a história da dificuldade de se conseguir um primeiro emprego e como tirar uma carteira de trabalho. Isso foi muito positivo porque eu via a reação das pessoas nas ruas. Uma mãe já me falou: “Você é um exemplo dentro da minha casa”. É muito bom você poder contar uma história e essa história ter uma função para a sociedade. Eu acho muito válido.

Essa entrevista foi concedida pelo UOL

%d blogueiros gostam disto: