“Mulher Invisível” e “O Astro” levam prêmio Emmy Internacional

O ator Rodrigo Lombardi na pele do personagem Herculano Quintanilha, protagonista da novela "O Astro"

A novela “O Astro” e a série “A Mulher Invisível” foram premiadas na 40ª edição do International Emmy Awards que aconteceu na noite de segunda-feira (19), em Nova York.

“O Astro” ganhou na categoria melhor telenovela.

O autor Alcides Nogueira e o diretor Mauro Mendonça Filho subiram ao palco para receber o prêmio anunciado pelos atores Marcelo Serrado e a atriz da TV Azteca, Edith González, na cerimônia de gala que foi promovida no hotel Hilton.

“Sou de uma geração de autores que sempre admirou e desejou o Emmy. Ganhar esse prêmio, ainda mais na sua 40a edição, enche meu coração com uma alegria indescritível”, comentou Alcides.

Já “A Mulher Invisível” levou o prêmio na categoria comédia. A estatueta foi entregue pelo ator americano Cheyenne Jackson ao diretor Claudio Torres e ao roteirista Mauro Wilson.

Débora Falabella, Luana Piovani e Selton Mello em cena do primeiro episódio do seriado "A Mulher Invisível"

O prêmio, dedicado a produções feitas fora dos EUA, recebeu 1.100 inscrições, que foram analisadas por jurados de 67 países. Ao todo, foram selecionados 38 finalistas de 15 países que disputaram títulos em 9 categorias.

A Globo recebeu outras três indicações: “Planeta Extremo”, “Homens de Bem” e “Por Toda a Minha Vida – Cartola”.

Ricardo Pereira participa do “Mais Você”, fala sobre personagem e seu sotaque

https://i2.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20111208135806.jpg

O ator Ricardo Pereira participou do programa “Mais Você” na manhã desta quinta (8) e falou sobre seu personagem em “Aquele Beijo”.

Na novela das sete, ele interpreta Vicente, que é noivo de Lucena (Grazi Massafera) mas não consegue esconder o encanto que sente por Cláudia (Giovanna Antonelli), com quem já viajou até Cartagena, na Colômbia, e já beijou.

Na conversa com Ana Maria Braga, o ator afirmou que é possível um homem amar uma mulher e ao mesmo tempo gostar de outra.

“Acho que o grande trunfo do Vicente é que ele não é um mau-caráter. O Miguel Falabella [autor da trama] me explicou muito bem isso quando me chamou para o papel. Eu tenho que trabalhar para mostrar que o Vicente é um homem correto”, disse.

Ricardo Pereira ainda comentou sobre sua participação na novela “Laços de Sangue”, uma co-produção entre a Globo e a SIC em Portugal, premiada com o “Emmy Internacional” no último dia 21. Ele acredita que o trabalho foi um marco, já que uniu a dramaturgia de dois países.

Nascido em Portugal, o ator também falou sua carreira. “É engraçado, porque, muitas vezes, as pessoas acham que eu comecei a minha carreira aqui. Esta é a minha 18ª novela. Eu tinha toda uma história de trabalho em Portugal, a Globo me descobriu lá e me trouxe, me deu o prazer de trabalhar aqui”, comemorou.

Em seus primeiros papéis no Brasil, o ator tinha o seu sotaque natural. Com o passar dos anos no país, ele aprendeu e agora fala o nosso português fluentemente. “Eu procuro mudar o sotaque, porque acho que é importante para mim, pelo fato de eu trabalhar aqui no Brasil, ter a possibilidade de conseguir mostrar que eu posso fazer também um personagem brasileiro. Por isso, eu estudei, e continuo a estudar”, explicou.

“A minha fonoaudióloga fala uma coisa muito interessante. Todo mundo me pergunta se os portugueses ficam tristes por eu adotar o sotaque brasileiro. Eu digo que, pelo contrário, este interesse que tenho em aprender é uma forma de eu querer chegar mais longe”, contou.

Essas informações são do site NaTelinha

Depois de vencer o Emmy, “Caminho das Índias” será a novela mais exportada do Brasil

A única novela brasileira a vencer o Emmy Internacional, Caminho das Índias (2009), está prestes a bater mais um recorde. A trama de Glória Perez, até o fim do ano, deverá ser oficialmente vendida para mais de cem países e se tornará a produção mais exportada pela Globo em todos os tempos.

Em abril deste ano, Caminho das Índias já tinha conseguido a façanha de ter sido vendida para 90 países. Além do Emmy Internacional, ajudou em sua carreira no exterior a comparação com O Clone (2001), outro grande sucesso de Glória Perez. Não atrapalhou em nada o fato de ter começado como a história de um amor proibido pela sociedade de castas indianas e ter terminado como a história de um amor arranjado.

O ranking oficial das novelas mais exportadas pela Globo é o seguinte:

1. Da Cor do Pecado (2004): 100 países
2. Terra Nostra (1999): 95
3. O Clone (2001): 90
4.Caminho das Índias (2009): 90
5. Escrava Isaura (1976): 79

Com informações do jornalista Daniel Castro, do R7.

%d blogueiros gostam disto: