Maria Antonieta de las Nieves, intérprete da famosa Chiquinha

Maria Antonieta de las Nieves, intérprete da famosa Chiquinha, lançou um livro onde revela detalhes sobre sua vida particular e também sobre o seriado ‘Chaves’, nesta semana. Na ocasião, a atriz chamou atenção pelo exagero no uso do botox. O rosto da artista está visivelmente esticado e as bochechas mais cheias.

Essa não é a primeira vez que Maria passa por algum procedimento estético. Em entrevista à TV Azteca do México, ela disse que quase já morreu depois de ter injetado uma espécie de óleo nas pernas.

“Quando eu tinha 40 anos estava nos Estados Unidos fazendo uma apresentação e falo ‘Meu Deus, o que acontece, não consigo andar’ eu caminhava e não conseguia me manter em pé. Então eu vi a coisa mais impressionante da minha vida. Minha perna estava cheia de bolas. Uns hematomas verdes que estavam dentro das veias ou artérias. Eram hematomas muito grandes, alguns até hoje as tenho. Chego em casa e fui falar com um médico especialista, um amigo, e ele disse ‘Você tem tromboflebites, é uma coisa muito delicada e você não pode andar. Vou encontrar alguma forma de te curar, mas se você andar alguma desses tromboflebites podem chegar ao coração ou ao cérebro e você pode morrer'”, relembra a atriz.

María Antonieta de las Nieves pediu desculpas

chiquinha

Na última quinta-feira (18), em entrevista à emissora Telemundo, María Antonieta de las Nieves pediu desculpas por ter revelado alguns episódios polêmicos da vida pessoal de Roberto Gómez Bolaños e Florinda Meza, à uma rede de TV peruana.

“Eu me senti muito mal comigo mesma e disse: ‘Tenho que ser corajosa’, e de Maria Antonieta, não de Chiquinha, vou dar uma desculpa pública. Levem a sério, por favor, porque não voltarei a fazer isso. Não é algo tão fácil. Quando começaram as perguntas fortes, e [a apresentadora] começou a dizer o que tinha que dizer. ‘Por que estão colocando a resposta em sua boca?’. Lamento muito a quem abalei. Confirmar algo que todos sabem não é nenhuma novidade, mas por que tenho que confirmar? Não devo dizer”, reconheceu.

Apesar disso, a intérprete da personagem Chiquinha reafirmou que não pretende ser amiga da viúva de Bolaños, que deu vida a Dona Florinda.

“Para quê? Se não quiseram me ver quando vivia com o marido, que era a única coisa que nos unia, muito menos agora”, desabafou.

Embora tenha se arrependido das declarações, a artista planeja lançar mesmo assim um livro com mais “podres” dos bastidores de “Chaves”. Segundo o jornal mexicano “El Universal”, a obra revelará problemas de Bolaños com álcool e os maus-tratos com os atores da série mexicana, produzida entre 1971 e 1992.

Para quem não sabe, no último dia 6, María Antonieta revelou em um programa de TV que Florinda Meza foi amante de Bolaños e Carlos Villagrán, o Quico, quando eles ainda eram casados.

Confira, nas próximas páginas, as polêmicas de “Chaves”.

Leia mais deste post

RELEMBRE POLÊMICAS DE “CHAVES”

chiquinha

María Antonieta de las Nieves está preparando um livro que promete surpreender os fãs do seriado mexicano “Chaves”. A atriz, que interpreta a Chiquinha no programa, abordará na obra alguns segredos dos atores do elenco, além de mostrar o “lado B” de Roberto Gomez Bolaños, ator e criador da atração – morto em novembro de 2014. O livro, intitulado até o momento de “O Outro Roberto”, trará detalhes também sobre os conflitos entre Maria Antonieta e Florinda Meza, viúva de Bolaños.Segundo relato da atriz, os desentendimentos com a intérprete de Dona Florinda lhe causaram problemas profissionais dentro da produção, inclusive maus tratos nos bastidores do seriado, segundo o jornal mexicano “El Universal”.

Além disso, Maria Antonieta revelará que Meza, de fato, era noiva do diretor e produtor Enrique Segoviano, braço-direito de Bolaños nas gravações de “Chaves”.Vale lembrar que esta não é a primeira vez que Antonieta causa polêmica ao fazer declarações pesadas sobre a vida pessoal do elenco de “Chaves”. No último dia 6, a veterana deu uma entrevista a um programa de TV peruano, falando sobre a relação de Bolaños e Meza, que foram casados por 37 anos. Florinda teria tido um caso com o escritor e Carlos Villagrán, o Quico do seriado, quando ambos eram casados.”Para mim, foi muito difícil a relação deles. Cada um faz o que quer da sua vida, o que mais lhe agrada, mas quando machucam uma pessoa que você adora, aí sim, dói, e me doeu muito”, disse Maria Antonieta. Confira, nas próximas páginas, as polêmicas de “Chaves”.

Maria Antonieta de las Nieves diz que atritos com Bolaños não eram pessoais

image

Maria Antonieta de las Nieves, intérprete da personagem Chiquinha do “Chaves”, postou uma mensagem na noite desta sexta-feira (28), em sua conta do Facebook, narrando sua dor pela morte do amigo Roberto Bolaños. Na nota, ela deixa claro que os atritos vividos entre eles no passado não eram pessoais.

“O dia de hoje, 28 de novembro de 2014, será um dia que tocará o coração de muitas gerações, a morte de Roberto Gomez Bolaños. Extraordinário comediante, escritor, ator, produtor e SER HUMANO. Independentemente dos atritos que tivemos nestes últimos anos, que realmente não foi diretamente com ele, para mim foi um grande exemplo, um estupendo amigo.

Envio a vocês minhas profundas condolências a todos e cada um de seus filhos e familiares. A todos seus fãs.

Meu coração está com vocês.

Obrigada por tantas risadas, por tantas horas e horas de trabalho em equipe, por ser essa grande pessoa. Você leva um pedacinho do meu coração!

Maria Antonieta de las Nieves”

Ainda para ilustrar seu texto, a atriz postou uma cena de “Chaves” na qual os dois se abraçam e ela está emocionada.

Em conversa com o UOL, Verónica Fernandez, filha de Maria Antonieta, disse que sua mãe está em viagem ao Equador, para realizar seus shows como “La Chilindrina”, e que está muito consternada.

“Minha mãe está viajando e com o celular desligado. Ela só volta dia 12 de dezembro para o México, mas está muito triste e não quer conversar com a imprensa neste momento de dor. Em outra oportunidade, ela vai conversar, mas agora não”, disse por telefone.

No Twitter, a eterna Chiquinha também manifestou suas condolências. “Obrigada por ter feito tanta gente feliz e pelos maravilhosos momentos que compartilhamos no grupo. Descanse em paz, Roberto”.

Chaves: mais de 150 episódios estão disponíveis na internet

Canal oficial exibe episódios de Chaves, Kiko e a turma dublados em português. Foto: YouTube/Reprodução

Os fãs do seriado Chaves receberam, nesta quarta-feira, uma boa notícia. Mais de 150 episódios da série, uma das mais populares da TV mexicana e que teve sua primeira exibição no Brasil em 1984, estão disponíveis no YouTube, gratuitamente.

Com qualidade de DVD, as trapalhadas de Chaves, Chiquinha, Kiko, seu Madruga, seu Barriga e tantos outros, podem ser acessadas 24h por dia no canal oficial http://www.youtube.com/user/chaves com a dublagem em português conhecida há quase 30 anos.

Mais de 22 mil pessoas homenageiam os 40 anos do seriado Chaves

Cerca de 22 mil pessoas participaram de uma megacoreografia na Cidade do México no último fim de semana, em homenagem os 40 anos do seriado Chaves, e seu criador Roberto Gómez Bolaños, o Chespirito.

A atividade faz parte do programa América Celebra Chespirito, que será emitida em vários países da América Latina.
 
No México famílias inteiras, caracterizadas pelos eternos personagens criados por Bolaños, como o Quico, Chaves, Dona Florinda, Chiquinha, Professor Girafales, Seu  Barriga, Seu Madruga, e outros, compareceram no monumento à Revolução no Distrito Federal desde as primeiras horas da manhã a fim de encontrar o melhor lugar para executarem a coreografia.
As informações são do O Fuxico

Especial Chaves – Curiosidades I

Com a morte do Seu Madruga, tentaram colocar a bisavó da Chiquinha interpretada por ela mesma, para substituí-lo. Mas não deu certo, pois nada e ninguém conseguiria substituir o Ramon Valdés (Seu Madruga). Só ele conseguiria fazer aquele papel, que foi escrito exatamente para seu porte físico, seu jeito meio lesado de ser. A perda foi irreparável e, a partir daí, a saga do elenco acaba, o ritmo diminui, e a série vai se desfazendo aos poucos.

Foram feitos mais de 1.000 episódios de Chaves.

Quando Ramón Valdés (Seu Madruga) morreu, em agosto de 1988, o enterro foi acompanhado por muita gente. E, como afirma Edgar Vivar (Sr. Barriga), todos aplaudiram quando terminaram de enterrá-lo. Há outro fato emocionante que também é comentado pelos que estiveram presentes. Angelines Fernández (D. Clotilde), que era muito ligada a Ramón, sofreu muito. E, no enterro, ficou parada duas horas diante da sepultura de seu companheiro, chorando e falando sozinha, como se estivesse conversando com Ramón. Uma filha de Angelines disse que a mãe nunca mais foi a mesma depois da morte dele. Que descuidou da saúde, envelheceu mais rápido. Era sem dúvida uma forte amizade. As filhas de Ramón Valdés afirmaram que o pai era muito amigo especialmente de Carlos Villagrán (Quico), Edgar Vivar e Angelines Fernández.

O mesmo elenco (desfalcado) tentou fazer outra série. O seriado “Chompiras”, que ocorre em um hotel; passou por pouco tempo aqui no Brasil, no canal CNT, mas não fez tanto sucesso. Os atores não eram mais os mesmos. Depois da morte de alguns atores do elenco, parece que nada mais poderia ser criado.

Chaves chegou a passar em horário nobre no Brasil. Passou durante 4 meses às 21h.



Chaves estreou no Brasil no programa do Bozo, (exibido no SBT) em 1984 com apenas 13 episódios comprados. Devido ao sucesso, compraram mais lotes de programas em 1986, 1988 e 1991.

A música tema de quando o Professor Jirafales e a Dona Florinda se encontram é o tema do filme “E O Vento Levou” em outro arranjo. É a única música reconhecível da trilha sonora desse programa.

Fonte: www.viladochaves.com

%d blogueiros gostam disto: