‘A Grande Família’ já tem data para acabar

A próxima temporada de “A Grande Família”, que estreia em abril na Globo, não será a última. De acordo com o jornal O Globo, ficou decidido em uma reunião recente na emissora que a série será produzida até o final de 2014, ganhando, portanto, mais duas temporadas no ar.

No ar desde 2001, a trama sofreu desgastes no seu formato e ganhou novos integrantes, mas continua atingindo as metas de audiência imposta pela Globo. Alguns atores, entre eles a própria Marieta, pediu à emissora colocar um fim na série no ano passado, e o programa ganhou, enfim, um “prazo de validade”.

Com o fim de “A Grande Família”, muitos atores poderão voltar à dramaturgia, é o caso de Nanini e Severo. A série está no ar pela Globo desde 2001, e é considerado uma das atrações mais tradicionais da família brasileira.

Hoje em A GRANDE FAMÍLIA – 29/11/2012: Agostinho finge que nem conhece Fontes no tribunal

No episódio de A Grande Família desta quinta-feira a credibilidade de Agostinho (Pedro Cardoso) parece estar por um triz. As investigações do julgamento de Fontes (Luis Fernando Guimarães) indicam que todo dinheiro aplicado por ele em campanhas políticas pode ter sido obtido de forma ilegal. Diante das evidências, o vereador apadrinhado Agostinho é logo convocado a depor no tribunal. E, apesar do relacionamento com Fontes não ser segredo, o taxista foge do instinto de contar toda a verdade sobre o caso. Na tentativa de se livrar de uma condenação e evitar uma retaliação popular – mas sem conseguir escapar do peso de sua própria consciência – ele resolve que declarará nem mesmo conhecer Fontes. A repercussão do caso tem sido tão negativa que o sócio Paulão (Evandro Mesquita) se antecipa e muda o nome da companhia de táxi com Agostinho para “Wilson Táxis Wilson”. O título, em menção ao sobrenome do mecânico, é uma tentativa de desvincular a empresa antes chamada de “Carrara Táxis Carrara” do escândalo.

Já Florianinho (Vinícius Moreno) se espelha nas ações do pai a fim de driblar as adversidades e alcançar os objetivos. Depois de aparecer com um skate novo pelas ruas do bairro, o menino tem que se desvencilhar dos questionamentos de Nenê (Marieta Severo), Lineu (Marco Nanini), Bebel (Guta Stresser) e Agostinho sobre a origem do brinquedo. Frente aos avós e pais, o caçula diz que pegou o skate emprestado de um colega e consegue escapar do tribunal mirim. Em particular com o pai, porém, ele confessa ter mentido no interrogatório, pois tirou algum dinheiro da caixinha de Natal anual para a compra. Ao ver como suas atitudes podem servir de mau exemplo para Florianinho, Agostinho decide mudar de tática no caso Fontes.

Não perca o próximo episíodio de A Grande Família! O programa vai ao ar logo após Salve Jorge.

Hoje em A GRANDE FAMÍLIA – 22/11/2012: Estrela de TV se hospeda na casa da família Silva

Uma estrela de televisão escolhe simplesmente a casa da família Silva para se hospedar e promete causar aquele alvoroço na vizinhança. No episódio desta quinta-feira, dia 22, a atriz Juliana Rebouças (Maria Flor) vai viver uma suburbana em uma novela. O workshop dela será na casa do colega de emissora, Tuco (Lúcio Mauro Filho). Vixi! Não vai prestar!

A fim de parecerem tradicionais suburbanos e ganharem visibilidade com o futuro sucesso do folhetim, os vizinhos até inventam costumes que nunca fizeram parte da rotina, como a feijoada de Nenê (Marieta Severo) e o samba na pastelaria do Beiçola (Marcos Oliveira). A experiência de Juliana Rebouças inclui ainda mudanças de estilo e comportamento. Ela se espelha em Bebel (Guta Stresser) para compor o visual extravagante e o trejeito despachado de sua personagem.

Só que nem tudo são flores. Com toda a repercussão da novela, uma equipe de jornalismo da emissora que Juliana trabalha quer fazer uma matéria sobre o bairro e essa pode ser a destruição da imagem dos “legítimos suburbanos”.

O episódio ‘Os bons selvagens’ de A Grande Família vai ao ar nesta quinta-feira, 22 de novembro, logo após Salve Jorge.

Marieta Severo vai trabalhar fora de casa em “A Grande Família”

Marieta Severo em cena de A Grande Família (27/5/2010)

Uma das ideias para “A Grande Família” no ano que vem diz respeito à personagem Nenê, da Marieta Severo.

Entre o que já foi proposto, existe a possibilidade de ela, sem abandonar as suas funções de dona de casa, também exercer uma atividade fora, algo muito comum nos tempos atuais.

Segundo o colunista Flávio Ricco

Rede Globo garante ” A Grande Família” na grade de 2012

A série “A Grande Família”, apesar de muito cedo, já está garantida na programação 2012 da Rede Globo.
Informação oficial, confirmada pela assessoria da emissora.
Sinal de que os resultados de audiência e o trabalho do novo diretor-geral do programa, Luis Felipe Sá, corresponderam.
Portanto, no ano que vem, mais uma temporada de episódios assegurada para Marco Nanini, Marieta Severo e cia.

Essas informações são do Na Telinha

Brasil não produz humorísticos

Será que o Brasil produz humorísticos? Com toda certeza não. Nos dias de hoje a maioria dos programas de humor apelam para a baixaria, para a vulgarização da mulher brasileira. E quem assiste a esses programas? Só homens, por causa da bela “apreciação” da mulher, mas não assistem pela qualidade ou um momento descontraído que o programa pode trazer.

A Globo na maioria das vezes não apela para a baixaria nos seus humorísticos, mas ambos são completamente sem graça, com exceções muito raras. Mas a realidade é que quase todos os programas de humor não estão proporcionando o momento descontraído, um tempo para esquecer os problemas e se divertir.

A Rede TV, tem o Pânico como o produto de maior audiência da casa, agora se for feita uma enquete, os homens assistem mais o Pânico, devido a vulgarização da mulher. E muitos outros programas, que a Record, Band,SBT,  Globo ou outras emissoras produzem e apelam para a tal falada baixaria, mas essa é a verdade, brasileiro adora uma baixaria, temos como exemplo: A Fazenda e Big Brother Brasil, dois realities que usam e abusam de cenas promíscuas e apelam para a vulgarização de ambos os sexos.

Enfim, os programas de humor que existem e fazem nos rir, apelam para cenas com conteúdo sexual forte, mas os dois únicos programas que se salvam são: Tapas & Beijos e Macho Man, mas isso vai de cada pessoa, cada um avalia como quer um programa. Mas uma coisa é certa: o Brasil não produz programa de humor!

E você o que acha do humor brasileiro? CQC, Pânico na TV, Legendários, Zorra Total, Os Caras de Pau, As aventuras de Didi, Tapas e Beijos, Show do Tom, A praça é nossa, A grande Família e Macho Man cumprem o seu papel na televisão brasileira?

Por: Breno Veisack

EXCLUSIVO CTV

Luciano Huck participa de “A Grande Família”

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20110419090531.jpg

A Grande Família foi uma série de televisão brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 26 de outubro de 1972 a 27 de março de 1975, às 21h00, tendo totalizado 112 episódios.

Nets quinta o apresentador do programa “Caldeirão do Huck”, Luciano Huck, estará na série. Luciano fará uma participação especial com seu quadro “Lata Velha”.

Dentro da série, Bebel, personagem de Guta Stresser, escreveu uma carta para que Agostinho (Pedro Cardoso), participasse do quadro do “Caldeirão”. Sua carta foi a escolhida e então Luciano Huck vai atrás do carro. O problema girará em torno da situação causada por Paulão (Evandro Mesquita), que desmontou totalmente o táxi de Agostinho.

O programa vai ao ar após “Insensato Coração”, na Globo.

Com informações do site NaTelinha

“A Grande Família” volta ao ar nesta 5ª com poucas mudanças, mas nova direção

A nova direção de Luiz Felipe Sá –que substituiu Olívia Guimarães– deve trazer mudanças leves e pontuais ao humorístico “A Grande Família”, que estreia a temporada 2011 nesta quinta (7), às 22h30, na Globo.

No primeiro episódio, “Se essa rua fosse minha”, o cenário do bairro muda de figura. Nenê (Marieta Severo) é eleita presidente na associação de moradores com o fim do mandato de Lineu (Marco Nanini). Em cerimônia no local, o patriarca da família Silva faz as honras e apresenta para todos a nova líder, com direito a faixa e discurso. A presidente promete lidar com essa responsabilidade do seu jeito e, como primeira atitude de seu mandato, organiza a festa do Clube Paivense, sem se importar com assuntos mais sérios e importantes para os cidadãos.

Outro personagem que terá algumas novidades é Agostinho (Pedro Cardoso). No terceiro capítulo da série, “Lata Velha é que faz corrida boa”, sua mulher Bebel (Guta Stresser), manda uma carta para que o taxista participe do quadro “Lata Velha”, do “Caldeirão do Huck” e, após semanas, ele é o escolhido. No entanto, como é de praxe, Agostinho consegue se atrapalhar: seu carro pifa e ele manda o amigo Paulão (Evandor Mesquita) fazer um verdadeiro desmanche no automóvel.

Já Lineu, mais estressado do que nunca, vai provocar uma crise em sua relação com Mendonça (Tonico Pereira) no episódio do dia 14 de abril, “Aqui se faz, aqui se paga”. Ao tentar convencer o chefe a olhar um processo em aberto, o funcionário promete que fará sua aposta na loteria, a mesma que é feita há anos na esperança de ser o sorteado. A confusão se estabelece no programa e os dois chegam a brigar feio.

UOL TELEVISÃO

“A Grande Família” volta ao ar nesta semana na Globo

https://i2.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20110404122252.jpg
A série “A Grande Família” está completando dez anos no ar. Na próxima quinta (7), terá início sua 11ª temporada. Com nova direção, a atração terá poucas mudanças, sutis, segundo Luis Felipe Sá, o novo diretor: “Em time que está ganhando não se mexe”.

Uma das alterações será a presidência da Associação de Moradores, que será assumida por Nenê (Marieta Severo). A analogia com a presidenta Dilma será inevitável.

Segundo o jornal O Dia, outro acontecimento será a participação de Agostinho (Pedro Cardoso) no quadro “Lata Velha”, do “Caldeirão do Huck”. A partir daí, o personagem montará uma frota de táxis.

“A Grande Família” vai ao ar logo após a novela “Insensato Coração”, na Globo.

Com informações do site Na Telinha.

“A Grande Família” sob nova direção em 2011

Cena de A Grane Família da Globo (2010)

“A Grande Família”, que volta à Globo em abril, agora terá agora como diretor-geral Luís Felipe. É um velho conhecido da equipe, com passagens pelo programa em 2008.

Nos últimos tempos, Felipe Sá esteve à frente de alguns quadros exibidos pelo “Fantástico”, como “Liga das Mulheres” e “O Cúpido”.  Entre outros desafios, terá como missão principal tirar o seriado do atual estado de sonolência.

Uma nova direção-geral para “A Grande Família” estava perfeitamente dentro do previsto. Afinal, Maurício Farias não tinha como tocar dois trabalhos ao mesmo tempo.

Portanto, ele deixa definitivamente o programa para se dedicar a “Tapas e Beijos”, série com Andréa Beltrão e Fernanda Torres, uma das principais apostas da nova grade da Globo.

Informações Coluna Flávio Ricco com a colaboração José Carlos Nery

Classe C prefere novela, humor e auditório, diz megapesquisa

A Grande Família é um dos programas preferidos da classe C, que se espelha na família Silva

Maior classe econômica do país, a classe C representa hoje metade da população brasileira, ou cerca de 100 milhões de pessoas, de acordo com uma pesquisa divulgada na semana passada pelo Ibope. É a classe que mais cresceu nos últimos anos, graças à melhora da economia nacional.

É principalmente para a classe C que os executivos das emissoras de televisão olham (ou deveriam olhar) quando pensam em programação.

A classe C, segundo o Ibope, é a nova classe média brasileira. Ela ganha entre R$ 600 e R$ 2.099 mensais. É dividida em classe C1 e classe C2 por meio de um sistema de pontuação que leva em consideração desde o número de televisores coloridos e geladeiras que possui até o nível de escolaridade do chefe da família.

Intitulada Classe C Urbana do Brasil – Somos Iguais, Somos Diferentes, a pesquisa do Ibope/Target Group Index ouviu quase 20 mil pessoas das principais metrópoles do país entre fevereiro de 2009 e janeiro de 2010.

Eis alguns dos principais resultados:

– A classe C é mais jovem, composta por maioria de afrodescendentes (exceto no Sul), suas mulheres são mais responsáveis pela família e seus homens tendem a viver menos.

– A classe C se preocupa menos com alimentação e faz menos exercícios físicos em academia, mas não é mais  gorda do que os mais ricos (27% da C1 está acima do peso, contra 31% da classe AB1). O Ibope atribui isso a uma “maior mobilidade”.

– Apenas 23% da classe C fala um segundo idioma.

– Mais da metade gostaria de economizar dinheiro, mas acha isso difícil; 53% possuem cartão de crédito (em 2005, eram 45%), mas 61% não gostam de ter dívidas.

– 19% pretendem comprar imóvel nos próximos meses; 9,5 milhões de pessoas querem comprar um carro dentro de um ano.

– Computador, celular, TV, micro-ondas e geladeira são objetos de desejo da classe C. A máquina de lavar roupas, pela liberdade que representa, é hoje o item mais desejado.

– A classe C investe na aparência e em cuidados pessoais. Boa aparência e poder de consumo significam inclusão social.

– A classe C aceita muito mais as diferenças e acredita mais na igualdade e na convivência pacífica. Tem menos preconceito do que a classe AB.

Consumo de mídia

A pesquisa do Ibope/Target Group Index também sondou hábitos de consumo de mídia.

A TV aberta é de longe a principal forma de entretenimento, assim como para as demais classes sociais (veja tabela abaixo): 98% da classe C se diverte vendo TV aberta.

Novelas, programas humorísticos e de auditório são os gêneros preferidos, apontou a pesquisa. A Grande Família, da Globo, é um dos programas mais vistos pela classe C, que se enxerga na série.

A TV paga ainda tem baixa penetração na classe C: 21% na classe C1 e 13% na C2, contra 28% na média da população urbana em geral.

Na classe C1, 55% já têm acesso à internet, mesmo percentual da média da população. A internet para a classe C tem menos função de mídia (fonte de informação) e mais de ponto de encontro (redes sociais, bate-papos etc).

A mídia impressa tem baixa penetração na classe C. A mídia em geral e a igreja são instituições merecedoras de grande confiança por parte dessa faixa da população.

Por: Daniel Castro, R7

Álamo Facó, novo membro de ‘A Grande Família’, fala sobre o gay Júnior

Prestes a completar uma década no ar, a nova temporada do tradicional humorístico “A Grande Família”, da Rede Globo, acaba de ganhar um reforço: o personagem Júnior.

 Álamo Facó, o intérprete do rapaz – que se revelou homossexual logo em sua primeira aparição – falou sobre a composição do personagem e da experiência de trabalhar em um comum grupo tão coeso, como Marco Nanini, Marieta Severo, Lúcio Mauro Filho, entre outros.

“Tem sido uma experiência maravilhosa. Eles são inspiradores e eu fico querendo acompanhar todo aquele ritmo. São muito abertos e o clima é ótimo”, conta Álamo, que chegou ao programa por uma “coincidência danada”. “O Maurício (Faria, diretor) ouviu falar de uma peça que eu fiz, chamada “Talvez”, e procurou vídeos no YouTube. Quando conversou com o elenco, tanto o Nanini quanto o Lucinho e o Pedro (Cardoso) concordaram, porque já conheciam meu trabalho. Fiquei superfeliz”, revela.

O ator de 29 anos revela ainda que, para compor o personagem, optou por estereotipá-lo o mínimo possível. “Hoje em dia, você não precisa mais dizer se um personagem é gay ou não. O Júnior veio como uma proposta de quebrar um pouco a visão tradicional das pessoas. O Nanini mesmo comentou que é uma visão mais contemporânea da ficção”, diz ele, que em breve estreia a peça “Pterodáctilo” ao lado do veterano.

Embora esteja fazendo sucesso, Álamo ainda não sabe quanto tempo Júnior permanecerá na trama. “Todos falam que, fora os cinco personagens principais (Nenê, Lineu, Tuco, Agostinho e Bebel), os outros começaram fazendo participações e acabaram entrando para o elenco fixo”, arrisca ele, em tom de esperança. “Vamos ver… A história vai tomando rumos diversos”, diz ele, que assume, sem falsa modéstia: “Tenho gostado do que vejo”.

Fonte: Te Contei

%d blogueiros gostam disto: