Está no ar a coluna “Mais Novela”


Caros Leitores, Saudações!

Chegamos a nossa 2ª edição com um assunto muito especial, até porque essa semana foi semana de final de novela das 8, e uma ocasião dessas é sagrada na TV aberta e faz a felicidade dos executivos da Globo de segunda à sábado, com números expressivos no ibope. Mas não foi só Passione fez a festa na Vênus Platinada essa semana. Tititi também fez bonito, se consolidando com 34 de média semanal. Malhação fechou na meta (20), o Clone teve um começo razoável (16), só Araguaia  sofreu uma leve queda (24). No SBT, a “última semana” de Esmeralda garantiu 8 pontos de média, e Ribeirão do Tempo escorregou pra 10.

Mas foi Passione que fez o Brasil parar essa semana, e é da trama de Silvio de Abreu que desde maio ocupa o cargo de carro chefe da emissora é que vamos falar.



Passione tomou conta da telinha da Globo com o principal objetivo de resgatar a audiência do horário, depois do fracasso de Viver a Vida. E prometia dar conta do recado, com um elenco nunca antes visto, o melhor já reunido em uma novela, história interessante, ritmo intenso, personagens interessantes. Começou bem, mas ainda sofrendo com a rejeição do público, visto que substituira uma trama muito fraca. A dinâmica da trama não elevou os índices, e Silvio se viu obrigado a diminuir o ritmo eletrizante, mas a audiência só fazia cair. Só depois da morte de Saulo que a trama enfim decolou. Mas já era tarde, Passione se consolidou com 35 pontos de média geral, um grande fracasso.

A história geral da trama era boa, porém trabalhada de maneira mirabolante. Quase todos os personagens mantiam parentesco com metade da novela, e daí vimos Agnello se envolvendo com a prima e com a tia, Berilo casado com a filha e com a irmã de Totó, Fátima flertando com dois primos, o ex namorado de Gemma casado com a sogra de Bete, mãe de Totó.. enfim, algo tão surreal quanto os mutantes da Rede Record.

E com um elenco tão grandioso e espetacular, claro que alguns não seriam trabalhados como merecem. Francisco Cuoco entrou quieto e saiu calado, sua participação foi totalmente ofuscada pelo sucesso de Irene Ravache, Flavio Migliaccio e Gabriela Duarte, que roubaram a cena. Bruno Gagliasso patinou no italiano, dando a Berilo um ar de Tarso com um sotaque caricato. Nem mesmo a grande musa Fernanda Montenegro teve tanto destaque, muitas vezes sua personagem aparecia apenas para refletir sobre os horrores cometidos contra sua família e tramar planos com seu advogado. Se perdeu, mas ainda assim deu a Bete Gouveia uma classe e elegância que só uma atriz do porte dela poderiar conferir de maneira tão maravilhosa. Vera Holtz também brilhou como Candê, embora aquele sotaque caipira fosse totalmente descartável. Carolina Dieckmann também não foi feliz na novela, e mesmo com todo seu talento, não conseguiu salvar sua personagem que fora muito mal construída. Um desperdício.

Porém, Cleyde Yáconis, Tony Ramos, Cauã Reymond, Bianca Bin, Mayana Moura, Werner Schunemann e Aracy Balabanian merecem nossas palmas e admiração. Brilharam na novela e mostraram um ótimo trabalho.

Agora, com toda certeza, a novela foi do começo ao fim de Mariana Ximenes. A atriz esteve simplesmente espetacular durante toda a trama, o melhor de todos os seus trabalhos na TV até aqui, encarnando sua primeira vilã, e mostrou ser feita para a coisa, conseguindo enganar, manipular e cometer crueldades a nível de Flora ou Nazaré. Com certeza está só começando.

Reynaldo Gianecchini também estece no ápice de suas atuações, depois de tantos personagens fracos, encarnou muito bem o vilão Fred.

A novela também trouxe assuntos importantes e os abordou muito bem. A dependência química e a exploração de menores foram muito bem trabalhadas e com certeza fizeram seu papel alertando a sociedade. O último, inclusive, serviu para explicar o gancho central da trama, que eram os assassinatos de Saulo e Eugênio.

O capítulo final foi interessante, mas com algumas derrapadas. Clara pulando do carro em movimento, despercebida, mesmo com tantas viaturas de polícia na sua cola foi no mínimo estranho. E a perícia também foi generosa com a loira, já que não conseguiu nada que a incriminasse no quarto do motel e nem se preocupou em checar se o braço carbonizado era mesmo dela.

Entre muitos altos e baixos, Passione de despede do telespectador como uma trama razoável, longe de ser ruim mas não a nível de ser espetacular, e só nos resta esperar e ver se Silvio de Abreu nos abrilhantará com uma trama inédita. Faço votos para que sim.

É isso, até a próxima edição e uma boa semana para todos vocês.

VINICIUS FERREIRA

Sobre viniciusfr
...

11 Responses to Está no ar a coluna “Mais Novela”

  1. edudu2010 says:

    Sem Comentários, ótima Qualidade

  2. essa novela foi boa e meio ruim mas deu pro gasto

  3. a says:

    Muito bom o texto parabéns

  4. q vinicius é esse? é o vinicius do NTV? será?

  5. ANDERSON SBT says:

    CLIQUE NO MEU NOME
    VOCÂ NÃO VAI SE ARREPENDER!

  6. negociodeblogueiro says:

    Ace.s.sem meu blo.gue !!!

  7. ANORANZA says:

    Dizer que ‘Passione’ teve ‘um elenco nunca antes visto’ é de um exagero sem tamanho.

  8. Luiz says:

    Bom, “Passione” foi boa, mas nada surpreendente, e também não foi a melhor do Silvio de Abreu. Mas deu pra ‘engolir’.

  9. (vh1)cultura pop says:

    passione..so besta..do papa tudo.ha ha ah ha ah

Participe do CTV. Deixe seu comentário! Você pode fazer login usando nome/e-mail, ou usando sua conta do Twitter ou Facebook. Faça bom uso deste recurso!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: